1 de agosto de 2012

a saga continua, agora numa versão diferente: "isso é o quê?"

Desde o primeiro dia do curso que ouço a pergunta Qual é a especialidade que vais escolher? sensivelmente 9834728746175 vezes por semana. Ninguém deixa passar. Nem o primo avec da França que vejo de 2 em 2 anos em eventos familiares de gosto duvidoso (tanto os eventos como o primo) nem a senhora do supermercado que me conhece desde pequenina.

Tive várias fases. 
  
1) A fase Ainda não sei, só naquela de não me comprometer e não me chatearem. Foi a que mais se repetiu ao longo dos anos.

2) A fase Psiquiatria que durou quase uns dois anos e que também já lá vai.

3) E agora estou na fase final. Já fiz o exame de acesso à especialidade e a escolho daqui a uns meses. E já sei (como se não soubesse já antes e andasse só em plena negação!) em princípio-mais-ou-menos-hum-ainda-estou-a-pensar-na-vida-mas-deve-ser-isso. É Medicina Interna. Ora vou logo gostar de uma das especialidades mais renegadas e desconhecidas. E agora, é fatídico como o destino que vem sempre lá um Isso é o quê?. E, às vezes, ainda um É médico de família? (Não, não é, grrr!). E uma pessoa perguntou-me Ah, tem a ver com intestinos? Interna, intestinos, I get your point! Mas também não é.

E lá faço eu o meu discurso de sempre. Sempre igual, acho que já sei as palavras de cor, que nem monólogo. Tudo explicado tim-tim por tim-tim e que termina, inevitavelmente, com um É a especialidade do Dr. House!, para ver se prestigia a especialidade e impressiona o interlocutor. E estou farta disto. Começo a  pensar seriamente em imprimir a descrição de Medicina Interna da Wikipedia que é bastante boazinha e mostrar cada vez que me perguntam. Ou então, para despachar, dizer qualquer que toda a gente conheça e ache fofinho, género Pediatria (vade retro satanás! deus me livre e guarde!). Resposta à qual se seguirá um coro enternecido que podemos traduzir com a onomatopeia ooooh! (especialmente se grupo de interlocutores do género feminino). 

21 comentários:

mary disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mary disse...

How awesome!
Então basicamente assinaste o contrato de casamento com o hospital :)

Jedi Master Atomic disse...

Intestinos....loooooooooool

Estupidez (em) Crónica disse...

Também está na minha lista de possíveis especialidades.. Estou muito curiosa para fazer o estágio agora no 6º ano :) felicidades! :)

MoonLight disse...

compreendo a tua dor.. ainda só estou no 4º ano, e já passei pela primeira fase e agora estou na segunda, só que com neurologia.. e sempre, sempre que refiro neurologia, levo com um "ah, é da cabeça, para tratar os maluquinhos! ainda bem, que daqui a uns anos estamos todos malucos e precisamos de quem trate de nós!"... e eu já desisti de tentar explicar..LOL

disse...

Esta está ao nível do Medicina interna -intestinos :D

GATA disse...

Medicina Interna... portanto, além de veres o interior das pessoas, só dás consulta no interior de edifícios, certo? :-)

C* disse...

O meu curso é Medicina Nuclear (Técnica de Diagnóstico e Terapêutica) e as perguntas e reacções são uma maravilha: perguntam se sou médica, se faço bombas, se vou para a guerra, etc etc. Começo sempre por explicar que é parecido com radiologia (se dissesse que injectavamos produtos radioactivos era a loucura xD) e por fim , para comover os corações mais melosos, digo que trabalhamos ,na maioria, com doentes oncológicos. Para já tem resultado, pelo menos param com as perguntas :)

...Ju... disse...

como te percebo...
eu ainda atiro o "não sei, logo se vê"!
mas é melhor começar a pensar numa resposta mais específica porque, nesta altura do campeonato, dizer não sei, é começar a passar por burra/parva!

mas a verdade é que até estar na tua fase, não sei mesmO! chatos!

Cat disse...

mary, pois, daí a minha ex-fase de negação. Mas o que é que uma pessoa há-de fazer quando gosta? Eu até acho que deve ser engraçado ter uma vida pessoal mas pronto, ficará para a próxima reencarnação.

Jedi Master Atomic, lógico, não é?

Estupidez (em) Crónica, eu tinha gostado das práticas no 4º e no 5º. Mas como tinha gostado de várias outras. No 6º ano, esqueeece!, adorei mais que tudo. Foram meses muito muito trabalhosos (trabalho escravo, basicamente) mas muito recompensadores. E agora no AC também adorei. Mas o 6º ano foi esclarecedor. *

MoonLight, pois, arranjam sempre forma de distorcer tudo. Já para não falar que são uma cambada de interesseiros, sempre a ver qual é a especialidade que dá jeito, neuro é p/os tratar quando estiverem malucos (lol), pediatria é para tratar os filhos, obstetrícia é para lhes fazer os partos, etc, etc!

Bê, e é melhor não tentar aprofundar o que pensam as pessoas sobre muitas outras especialidades, deve sair com cada pérola!

GATA, oh pá, sempre tão espertinha! Até pareces minha homónima-versão-portuguesa!

C*, a parte final também gera um "oooh"? ;) Podes sempre responder: "se continuas a chatear, injecto-te um produto radioactivo e assim ficas logo a saber o que faço, muah ah ah aaahh " x)

...Ju..., don't worry, honey. É normal não saberes ainda. Ainda te falta o ano de meter mais a mão na massa. E diz-me a experiência que se primeiro parece que é todo um vasto mundo de opções, mais pro fim os teus gostos ficam altamente restringidos. Às vezes penso "como é que dantes ponderava tantas especialidades diferentes e agora, para dizer a verdade, só me consigo imaginar mesmo em 2 ou 3?". Podes crer, as pessoas são chatas como tudo, porr@!

Cor do Sol disse...

Eu tenho uma amiga que já acabou a espcialidade de Medicina Interna, é trabalho duro. Tbm tenho uma prima que escolheu medicina geral e familiar mesmo tendo tirado 82% no exame. Há para todos os gostos como a minha amiga que é anestesista porque assim pode dormir mais lol :P boa sorte.

♥ Guida disse...

Coitadinha, e isso é em Portugal? Ok, fazemos coisas diferentes, mas acho que só me voltam a apanhar em Medicinas Internas mesmo, mesmo em último caso. O meu corpo não gostou do esforço e saí de lá com o coração muito partido quando percebi que estava numa espécie de extensão dos cuidados continuados.

girl in motion disse...

a minha fase é a 'ainda não sei', claro :P Mas essa especialidade é uma das que acho mais fáceis de não cansar ao longo dos anos, por poder ser tanta coisa ao mesmo tempo. e isso é bom!

S* disse...

Parece-me uma boa especialização... pediatria, de facto, exige um estofo esquisito, crianças são crianças.

Navajovsky disse...

Também é a minha favorita,mas além do que dizes acima tenho outro problema:as pessoas que conhecem a especialidade são um massacre- "não faças isso, nunca vais ter vida, nunca vais ser reconhecida, noutras especialidades podes saber quase tanto como nessa e ser reconhecida, não é prestigiante, blá blá blá" e até já os meus pais que não sabem nada de ciências me tentam puxar noutra direcção! Fico com os nervos em franja porque caramba claro que gostava de receber bem, ter tempo livre e etc mas deve estar tudo cego para não ver que é a especialidade mais bonita. É a que obriga a mais amor à medicina, mais dedicação, mais conhecimento, mais disponibilidade e uma das que dá mais azo a estabelecer uma relação com os doentes, como carga d'água é que pode não ser prestigiante?! Eu acho uma especialidade lindíssima.

Cat disse...

Cor do Sol, tem havido bastantes pessoas com boas notas a querer MGF. Sei bem que Med. é uma vida dura, acredita!

♥ Guida, em Portugal, não, claro. Mas de qualquer forma acho que é uma coisa com potencial para impressionar. Tenho ideia que, tal como os médicos, também os enfermeiros das Medicinas têm um trabalho físico e psicológico muito mais exigente que em outras especialidades.

girl in motion, eu também acho :) desde que se aguente o ritmo.

S*, Pediatria é uma especialidade peculiar, sim.

Navajovsky, isso sim, completamente. Até já me disseram a frase "não te deixes levar por esse coração romântico!". Acho que é uma questão de prioridades. Há quem não se importe de ir para uma que não goste tanto mas que permita mais tempo livre, mais dinheiro e mais privado. E há quem queira ir mesmo para o que gosta, independentemente disso. É bom sentir-me compreendida ;) (E isso do "saber quase tanto" como em Medicina, esqueeeeece!)

greeneyesgirl disse...

Eu sei o que é!!! xD

Cat disse...

greeneyesgirl, ficava-te um bocado mal não saberes! :P

м♥ disse...

Além de estarem sempre a perguntar qual a área, ainda devem pensar que é tudo fácil como em Anatomia de Grey.
Eu estudo Psicologia e desde que concorri que as pessoas me perguntam sempre qual a área que quero seguir. Já me cansei das fases do "Não sei", "ainda não pensei muito sobre isso", "ainda tenho muito tempo", "só estou no 1º ano!!", ... Mas agora este é o ano em que tenho que decidir. E levo sempre com comentários como "estudas psicologia? diz-me lá o que é que eu estou a pensar então!" e " fazes bem, vamos ficar todos maluquinhos, vamos precisar de muitos psicólogos". E a célebre "isso é pra tratar dos tolinhos, não é?". Por isso, embora de uma outra perspectiva, consigo compreender-te.

Sónia disse...

Ahaha. adorei. Passamos todos pelos mesmo. Adorei o: é a do Dr. House. nunca tinha pensado nisso. LOOOL

V* disse...

Como eu me identifiquei com este post!
Apesar de já ter algumas ideias daquilo que gosto e não gosto, opto pela resposta "não sei, logo se vê, depende da nota do exame...". Assim não me comprometo e não tenho de ouvir: "então mas afinal já não vais para X ou Y?"
Além disso, como tu já disseste, acho (e espero!) que o 6º ano vai ser um ano esclarecedor (que por estes lados a coisa anda confusa :s)