14 de dezembro de 2011

como a Bimby faz parecer que eu sou a mãe e que a minha mãe é que é a filha.

A minha mãe adquiriu uma dessas coisas espectaculares que faz tudo sozinha, menos ir às compras e limpar a casa. Na altura, ela andava doidinha de todo. Mas sempre pensei que estivesse a presenciar um momento daqueles como quando me ofereceram o carro da Barbie no Natal. Na primeira semana, muito giro, vrrum vrrum, sim senhor, não o largava. Na segunda, já só peguei nele duas vezes. E na terceira, já nem sabia onde o tinha largado porque já me tinha fartado dele. Mas não. E se há prova disso, é que ela habita a nossa bancada da cozinha há mais de um ano e o entusiasmo e discurso elogioso não esmoreceu. 

Ora, eu acho que a minha mãe me devia incentivar a aprender a cozinhar de forma tradicional. E apesar de os meus dotes culinários tenderem para zero, acho que a Bimby é uma substituta muito fraca do prazer de cozinhar (quando consigo cozinhar uma coisa sem a queimar, a sério, fico mesmo satisfeita). Nem da colher de pau a mexer a comida. Nem do cheirinho a refogado que sai do tacho e enche a cozinha. Nem da aventura que é uma pessoa (uma pessoa como eu) tentar evitar uma queimadura, esgueirando-se estoicamente do azeite a ferver que salta por todos os lados, quando tento fritar alguma coisa, usando a tampa da frigideira como escudo protector da cara. Enfim, todos os dias uma nova aventura!

Mas a mãe discorda. E não há legumes que ela me veja a picar sem me dizer Então mas estás a fazer isso à mão? Se usásses a Bimby, eram só x segundos e ficava muito melhor. (Ya mãe, obrigado pelas doces palavras de encorajamento!). E eu tento fazê-la perceber que o tempo que ia demorar a consultar o livro, encontrar a velocidade e o tempo pra Bimby fazer determinada coisa a determinado alimento, ligá-la, pô-la a trabalhar da forma certa e, no fim, lavar o jarro (é jarro o nome que se dá ao recipiente?) é maior e mais stressante do que fazê-lo à mão. Portanto, obrigadadinho Bimby, han? Por inverteres os papéis. Por me fazeres parecer uma mãe que não quero cá nada dessas modernices! e por fazeres a minha mãe parecer a minha filha, a tentar convencer-me, A sério, é super fácil, eu ensino-te! Quando te habituares, não queres outra coisa.

 
Texto que estava há muito tempo no forno, à espera de sair
e que acabei de cozer depois de ler o post da Rosa Cueca sobre o mesmo tema.

15 comentários:

Jedi Master Atomic disse...

Bimby rules pah, embora eu não a use, mas por outros motivos.

Bluebluesky disse...

abaixo a bimby, long live colher de pau!!! :D (eu adoro cozinhar, se me aparecesse uma bimby la por casa tinha um fanico...)

Faria disse...

Chama-se "copo".

ʝoana disse...

Opá. Eu não sei fazer um ovo estrelado, como se isso fosse o mais fácil de se fazer, mas com a bimby sou a doceira cá de casa!

Hermione disse...

eu cá não tenho bimby, por isso com ou sem jeito tenho de me desenrascar. nunca passei fome, por isso já é bom ;p

Margarida disse...

Eu quando é para triturar alguma coisa que no fim não se veja (ou seja, não interessa o tamano com que fica) eu meto a velocidade ao calhas XD tipo velocidade 7 ou assim, 2 segundos e dps vejo se quero mais picado ou não... XD nao vou à procura do livro... ahaha :P

Red disse...

naaa, não há cá bimby para ninguém. admito que às vezes tenho preguiça de cozinhar, mas quando estou de volta dos tachos deliro. ainda este fim-de-semana fiz um bolinho de chocolate e uns biscoitos natalícios espectaculares, e não trocava o meter as mãos na massa uma tarde inteira por meia hora a olhar para a maquineta ;)

Cat disse...

Jedi Master Atomic, porque não a tens? xD

Bluebluesky, iiiiieeeeeeiii! :D

Faria, sempre a aprender!

ʝoana, eu também acho que ovos estrelados é super complicado. Mas a Bimby também não faz ovos estrelados, portanto... :(

Hermione, exatamente! Eu sem Bimby e sem jeito também nunca passei ;)

Margarida, oooh mas isso és tu que estás familiarizada, aquilo pra mim é extremamente complexo e não pretendo que seja menos ;)

Red, e quando se tem preguiça de cozinhar, pra que é que servem as lasanhas do Lidl, hum? :)

Navajovsky disse...

Não percebo. Cá eu, que não sei MESMO cozinhar nada, dava tudo para ter uma (mas nunca sequer vi uma e ainda não percebi como isso funciona. Autêntico mistério, como é que eu tenho um cérebro e mal sei fazer arroz e essa bicha saca das coisas mais requintadas, a vaca). Acho que vai ser logo destino dos primeiros salários. Quero lá perder tempo à volta das panelas. Tanto filme para ver, livro para ler, amor para fazer, pessoas para salvar e vou cozinhar, não?, se ainda por cima isso faz de certeza coisas bem melhores que eu!

Miss G. disse...

Cat,

Tenho uma bomby há duas semanas e não quero outra coisa. Faz as coisas melhor do que eu fazia, não as queima, posso fazer outras coisas enquanto cozinha. E não é para quem não gosta de cozinhar porque podemos sempre inventar receitas, adaptar, criar. É para quem quer fazer com a certeza que sai bem. A bimby é apenas um conjunto de electrodomésticos juntos. Nem me digam que as coisas ficam com sabor artificial: ela é só uma panela com lâmina por isso o que pode acontecer é não se saber temperar. E as sopas? Deliciosas.

Beijinhos

Cat disse...

Navajovsky, e cozinhar não se pode incluir nessa categoria de coisas para fazer? :P

Miss G., sim, não acho que fiquem com sabor artificial. E sim, gosto das sopas. Acho só que não faz sentido nenhum eu aprender a fazer uma sopa na Bimby, se não sei fazer uma numa panela. Percebes?

MaGu disse...

eu também não sou muito dotada na cozinha, mas se tiver receitas faço de tudo, mas à mão. deixemos cá essas maquinetas.

Miss G. disse...

Cat,

Vou confessar então o meu pecado: eu, que sei cozinhar tudo e mais um par de botas, adquiri a bimby mais por a bicha ter jeito para sopas e eu não. Sei fazê-las que sei mas não sabem a... sopa. Mas concordo que primeiro saibas cozinhar fora da bimby. Até porque é preciso saber cozinhar para poder usar a bimby ao máximo e não apenas seguir receitas.

Beijinhos

Cat disse...

MaGu, com todos os riscos que isso acarreta, não é? :)

Miss G., pois, por isso é que acho que a minha mãe me devia incentivar a fazer as coisas à mão. Até porque eu não tenho uma Bimby minh fora da casa dos meus pais :P Beijinho **

Kikas disse...

oh, Caaaat! desta vez tenho que concordar com a tua mãe. a Bimby cá de casa foi adquirida para a menina Kikas levar para Lisboa, para não passar fome. mas como foi adquirida no início do verão, a minha mãe ainda teve muiiiito tempo para se entreter. e digamos que ela se converteu muito mais depressa do que eu xD ela foi-me buscar a Lisboa de carro, usou as compras de Natal como desculpa, mas a verdade é que eu acho que foi para trazer a Bimby :x e dizia-me ela "nunca pensei que isto fosse tão bom. diziam, mas eu não acreditava". sinceramente, não me espantaria se a minha mãe comprasse outra só para ela :x ontem à noite, fizemos um bolo de bolacha maravilhoso em menos de nada!! neste momento, estou a ouvir a Bimby apitar. enquanto eu me dedico à álgebra, a minha mãe dedica-se aos bolos em menos de nada. no início, realmente, tem que ser como tu disseste, de perder imenso tempo a consultar para fazer coisas simples.. mas assim que te habituas, é por intuição :D um dia, fiz uma receita que o primeiro passo era pôr para dentro da Bimby uma cebola descascada, programar, que aquilo picava. ainda cortei a cebola em quatro (CHOREI :|), porque fazia-me impressão que aquilo conseguisse desenrascar-se com a cebola inteira.. assim que vi o resultado, fiquei tão estupefacta, com a perfeição com que aquilo picou, que nunca mais me dei ao trabalho de partir a cebola em quatro xD e é assim!