8 de abril de 2011

digamos que tenho uma óptima capacidade de adaptação às situações.


Não queria voltar para casa dos meus pais, não queria fazer este estágio cá, fiz beicinho e pirraça quando, há mês e meio, me vim embora de Lisboa. E afinal, adorei estar cá.

Não tinha qualidade de vida desta desde há muuuito tempo. Comidinha boa da mamãe, miminhos do papai, roupa lavada, dormir todas as noites no meu quarto de sempre com a parede cor-de-rosa, o cheiro a casa, o cheiro de refogado na cozinha. Chegar rápido a todo o lado, não ter problemas de estacionamento, entrar às 9 e sair de casa às 8h45. Os dias parecerem enormes (dá para fazer mil coisas em um só dia, juro!, é possível não chegar todos os dias ao fim do dia pensar merda, já é hora de ir dormir outra vez!). Ao domingo à tarde ir comer caracóis e beber imperiais e ver o Benfica com a malta em vez da saga do costume ressaca + fazer mala + apanhar comboio + duas horas até Lisboa + chegar a Lisboa com a sensação de domingo-é-o-dia-mais-odioso-da-semana. Sair todas as sextas e todos os sábados. Sair à rua e conhecer as pessoas, ver amigos, conhecer há anos todos os vizinhos. Sentir o sol, ouvir passarinhos, dar o primeiro mergulho de rio do ano. 

Centro de Saúde: done. Ganhei muito respeito. Os bons médicos de família são médicos, psicólogos, assistentes sociais, padres, amigos, administrativos, solucionadores de problemas diversos, no geral e com uma paciência que vai daqui até à Lua, em particular. Para mim, não dá. Tudo o que não tenha acção eminente dá-me muuuuiiito sono. Agora volto para Lisboa para Pediatria ( let me guess, se fossem médicos queriam ser pediatras?). Não quero voltar para Lisboa. Também não quero ficar para sempre aqui mas vá lááá, só mais um bocadiiiinho. Lisboa faz dor de cabeça.

26 comentários:

joana disse...

Por acaso se eu fosse médica queria ter uma especialidade...
Oncologia infantil.

Gostava mesmo muito!

Cat disse...

joana, ora viste como eu adivinhei que era uma coisa relacionada com crianças? É o que a maioria das mulheres que não está em medicina, quer. Ou então Obstetricia :P

Raquel Fernandes disse...

Same here. entro as 9 saio as 8h45. Deve ser por isso que não saio de cada do meu pai mesmo com a minha pronta à minha espera a mais 40 km do trabalho...

Srta Mini disse...

por acaso, tenho 2 enfermeiras na família que não gostariam nada de trabalhar na pediatria. Quando me explicaram porquê, até entendi. Criancinhas a sofrer, a terem que chorar para as veias ficarem mais salientes e se puderem picar e outras cenas tais.. Não é qualquer um que tem estômago para aguentar durante muito tempo.

Cat disse...

Raquel Fernandes, e sabe tão bem, não sabe? :)

Srta Mini, claro, mas a ideia que quem não é de medicina tem é: pediatria é só criancinhas lindas e saudáveis. Nada mais errado.

António Branco disse...

moi, putos doentes... também não :(

Filipa disse...

Eu não quero pediatria! :p

Hermione disse...

como sabes eu queria medicina né, mas eu era para a especialidade de cirurgia =p mas vês, até foi positivo regressar à casa dos papás :) beijinho

Cat disse...

Primeiro custa a ir depois custa a sair. Quanto ao sair, a mim pesava a qualidade de vida...

Mary Jane disse...

Adoro não só a tua capacidade de adaptação, como a tua capacidade (e relativa possibilidade) de decisão acerca do que preferes fazer. É uma das grandes vantagens do estágio em Medicina, experimentam muitos contextos. Eu, como estagiária de Psicologia, confesso que ADORAVA ter essa experiência, porque estagiar num hospital (ou nos vários tipos de hospitais que existem), num centro de saúde, num centro comunitário, numa clínica, numa empresa ou numa escola and so on são experiências totalmente diferentes e eu queria tê-las a todas, mas não dá... Fico com uma e calo!

Red disse...

se eu fosse médcia... só e apenas médica legista!!! :D
(ainda não perdi a fé; qualquer dia vou para talhante, que assim como assim é quase a mesma coisa xD)

Joana Rosa disse...

Se fosse médica, queria ser psiquiatra eheheh :)

Mas sinto o mesmo que tu quando estou na casa dos meus pais...não há nada como o nosso cantinho :)

disse...

E depois chegas cá e não queres outra coisa! Ainda bem que gostaste querida!bom regresso ;-)

Inês disse...

Lol fazes me lembrar eu, também vim trabalhar para Lisboa e quase que rezava para que não me renovassem o contracto para poder sair desta maldita cidade... mas renovarame ek remedio tenho eu a nao ser ficar cá, onde ao menos tenho trabalho... Ít's life I guess

Eli disse...

Andas sempre do contra no inicio :D

Miss Mags disse...

Qdo andava no secundário ainda equacionei ir para Medicina (dado que metade da minha família são médicos =\ ), mas a especialidade que queria era Cardiologia ;)

Kikas disse...

se eu quisesse medicina, seria para seguir fisiatria :) seja como for, ainda bem que afinal gostaste! considera isso como umas férias da confusão :)

Lady Me disse...

Vês, afinal passou rápido como querias! Viemos aqui todos dizer que ia passar rápido e assim foi e agora a menina quer mais :P
Pois, na escola primária eu queria ser pediatra, mas passou rápido!

Fresco_e_Fofo disse...

Oh oh, pediatra... era "mêmo" isso que eu ia querer. Aturar os meus filhos em casa e aturar os filhos dos outros no emprego.
Lamento que tenhas de vir para Lisboa, outra vez. Eu só queria ir-me embora daqui, de vez. Ainda agora cheguei da aldeia, todo "roto" porque nos fartámos de trabalhar para pôr a casa aceitável, depois de um ano de abandono, mas é lá que se está bem.

GATA disse...

Eu não disse que um mês e meio passava num instante?! Não dás orelhas à gata velha... :-(

PS: jamais seria médica, desde os 10 anos que lido com os senhores da bata branca, é trauma e é medo, muito medo...

Lillipops disse...

Como eu compreendo isso do tempo.
Saí de Lisboa para as terras alentejanas e dá para perceber de longe que consigo aproveitar muito melhor os meus dias, dá para fazer tudo, net, pôr a leitura em dia, sair e sem aquela sensação de que perdi mais um dia.
E isto tudo a deitar-me a horas decentes que de manhã é para acordar cedo (coisa que em Lisboa, antes das 2h não me conseguia deitar de certeza).

Cat disse...

António Branco, eu não disse que não era comigo. Eu até acho que vou gostar.

Filipa, então? (Acredito que vais mudar ainda miiil vezes de opinião ao longo do curso! :P )

Hermione, DETESTO cirurgia e especialidades cirúrgicas, aaaahhhh!

Cat, a qualidade de vida conta muito, sim. Mas a longo prazo, não sei ainda, só passando pela experiência.

Mary Jane, pois é, o nosso sexto ano é óptimo por isso. Os nossos estágios (especialidades) não são opcionais, são obrigatórios. O local de estágio é que é mais ou menos opcional (dependendo do número que te calhou no sorteio para fazer essa escolha). Mas, seja como for, é óptimo. É uma pena que não tenhas essas oportunidades e que o estágio seja tão limitado, nesse sentido :(

Red, tu, era bem capaz de adivinhar! ;)

Joana Rosa, eu também queria Psiquiatria. Até há uns 4 meses atrás, pelo menos.

Bê, oh, eu sei que sim :)

Inês, pois! E é melhor cá do que em lado nenhum, não é?

Eli, é isso mesmo! :$

Miss Mags, baah, Cardiologia não gosto nem um bocadinho!

Kikas, ah muito bem! Uma especialidade pouco falada :)

Lady Me, eh pá, pois é sou. Estou sempre do contra, até a mim própria me irrita isso! x)

Fresco_e_Fofo, és provinciano como eu :)

GATA, tinhas razão siiim! :P PS: Deixa, eu também não gosto desses gajos!

Lillipops, parece que o dia é enooorme, dá para fazer montes de coisas e ainda dormir horas decentes, é incrivel! Em Lisboa o tempo voa.

Bluebluesky disse...

Não, por acaso eu acho que quereria a Ortopedia ou a Dermatologia.

Cat disse...

Bluebluesky, Ortopedia até é giro, é trabalho de carpintaria. Dermato é nheeeec! :P

Filipa disse...

Agora quero medicina interna!
Beijinho

Cat disse...

Filipa, como eu :)