14 de janeiro de 2011

tenho a melhor profissão do mundo, juro.

hoje é, definitivamente, o último dia.

O último dia de três meses que me transformaram.  Deixei de ser uma estudante preguiçosa, que preferia ficar a dormir em vez de ir às teóricas da manhã, que deixava sempre tudo-prà-última, que era, tantas vezes, descuidada para passar a ser uma pessoa tão empenhada, motivada, esforçada, tão mais resistente ao cansaço que quase não me reconheço.

Três meses que me deixaram irremediavelmente apaixonada por ser médica. Que me inundaram por uma sensação tão boa, gratificante, comovente. Aguardava há muito este momento. Foi excitante, foram muitas primeiras vezes. A primeira vez que assumi doentes à minha responsabilidade. A primeira vez que falei sozinha com familiares, que anunciei mortes, cancros, altas. A primeira vez que pus catéteres venosos centrais, fiz punções lombares, paracenteses, toracocenteses. A primeira vez que me piquei numa agulha com a qual ia colher sangue a um doente. A primeira vez que fui pra casa a pensar nos doentes. A primeira vez que soube o que era passar feriados, férias e folgas relaxada mas sempre com aquela sensaçãozinha como será que está o sr.Tal?. A primeira vez que fui trabalhar nas férias. A primeira vez que a filha dum doente meu que, infelizmente, morreu, foi ao hospital à minha procura para, de lágrimas nos olhos, me oferecer uma prenda como forma de agradecimento por tudo o que sabia que tinha feito pelo pai. A primeira vez que, contabilizando o enfermaria + Urgência trabalhei 16 horas seguidas. A primeira vez que, por mais cansada que me sentisse, acordava todos os dias entusiasmada com a sensação de wake up, it's time to save lifes! [© o meu homem!]. A primeira vez que descobri que adoro tratar velhotes [a média de idades dos meus doentes é, pr'aí 83 anos, numa estimativa por baixo]. A primeira vez que um doente me chamou a Dra. da trança ao lado, mesmo nos dias em que eu não ia de trança ao lado. A primeira vez que me senti super competente, com estaleca, com capacidade de agir rapidamente, interpretar rapidamente, lidar com situações rapidamente. A primeira vez que tive uma noção real da quantidade de doentes que ficam abandonados nos hospitais, pelo simples facto da família não querer saber. A primeira vez que um doente, como pessoa, me incomodou tanto que não consegui deixar que o facto de não gostar dele, não influenciasse a forma como me relacionava com ele. A primeira vez que vi alguém vomitar cócó [desculpem lá o mau jeito, foi academicamente importante, 'tá bem?].

Sou profissionalmente mais rica. Mas, inquestionavelmente, como pessoa também. Levo todas as pessoas que trabalham naquele serviço mas, muito especialmente, os meus velhotes - tantos de olhos bonitos! - a quem tantas vezes segurei na mão, no coração. Todos.

E agora, quando for para estágios onde não exista uma falta brutal de recursos humanos para um excesso brutal de doentes e tratem os alunos de 6º ano como alunos de 6º ano - que é o normal - e não como médicos, quando ficar sentada a ver fazer em vez de fazer, vou sentir-me frustrada, inútil e desperdiçada.

Começo segunda-feira no Júlio de Matos que é um hospital tão bonito, cor-de-rosa rodeado de árvores e com vedação verde que nem deixa adivinhar o que se passa lá dentro. Psiquiatria é a minha especialidade favorita. Hiiiigh expectations.

41 comentários:

lisbon new-yorker disse...

Ainda bem que há gente com a tua vocação...para mim tudo isso seria um filme de terror! lol acho que morria antes dos pacientes...muitos parabéns pela tua coragem e determinação ;) boa sorte!

Sofia disse...

Parabéns, precisamos de médicos como tu!
Beijinhos,
Sofia

Rosa Cueca disse...

Parabéns Cat, eu cá sempre tive uma relação amor-ódio com os médicos, mas por ti abro uma excepção, ok? :) tudo de bom *

Jedi Master Atomic disse...

Parabens pah. Escontramo-nos por aí num dos hospitais do mundo...lol

Irina disse...

vomitar cócó? sério? ora aqui está algo, das muitas coisas, q eu não sabia q era possível. jesus.

Nokas disse...

Até fiquei mal disposta a ler isto! Admiro a tua coragem, eu jamais seria capaz...

cereja disse...

Bolas, passei por aqui e não pude deixar de comentar. Sabes, é uma profissão que admiro muito, mas nunca fui boa a ciências, por muito que eu quisesse. Portanto, até tenho uma certa inveja saudavel de ti,mas acredito que tudo o que tens é porque te esforçaste. Portanto, primeiro de tudo, boa sorte para o julio de matos. Segundo, vou começar a seguir te, porque parece-me de que vales a pena :)

Rita disse...

E é tão bom quando parece que a vida vai entrando nos eixos.

Parabéns, nem sei bem pelo quê, mas apetece-me dar-tos.

Jedi Master Atomic disse...

Irina -> É possivel sim senhor, se o teu corpo começar a fazer os movimentos peristálticos ao contrario. É tão bom usar o google...loool

Croquete e Girassol disse...

Gostei bastante deste teu post. Nunca escolheria ser médica como profissão, exactamente, por essa componente tão forte a nível emotivo. Não deixo de ter uma admiração escondida por quem o faz.
Aproveita ao máximo para aprenderes tudo o que possas. E cresce. A nível profissional mas também e, principalmente, a nível pessoal.

Caia disse...

É uma profissão que era incapaz de exercer, mas ainda bem que existe pessoas como tu... que tratam dos doentes com paixão ;)

Reese disse...

Que texto fantástico. Adorei!
Muitos parabéns!

*B* disse...

Que texto lindo. Boa sorte, querida. Já és, há muito, uma excelente profissional e uma pessoa [ainda mais] maravilhosa.

:)

Pedro disse...

ora ainda bem que gostas do que fazes, e como o velho ditado, se fizeres algo que gostas na tua vida nunca tens de trabalhar, =) acho que e assim

Gema disse...

Olha o teu texto deixou-me com uma lágrimazita no canto do olho e tenho tanta coisa contra médicos (más experiências), mas deixaste-me naquela que não posso generalizar todos para o mesmo saco.
Obrigada Cat por este texto, fizeste-me abrir os olhos ;)
Tive um professor de Psicologia na Padre António Vieira em Alvalade que me contava com cada cena do Julio de Matos (onde ele trabalhou) LOOOOOOOOL saudades das aulas com ele :D

Fresco_e_Fofo disse...

Só desejo que nunca percas esse entusiasmo.
Bjs.

...Ju... disse...

ai que eu estou em pulguinhas para viver isso tudo!!!!

S* disse...

Vai correr bem rapariga... fico muito contente por saber que Portugal vai ter uma médica como tu, que está na profissão de corpo e alma.

Zaahirah disse...

Ohhhh! Agora fiquei com inveja de não poder salvar vidas. É que é tão bonita a forma como descreves o que fazes! :)*

disse...

Adorei este post, carregado de sentimentos. Vais ser/já és, uma profissional extraordinária e com toda a vocação que a tua profissão exige...parabéns por esta etapa.

JB disse...

Oi Catzinha,
gostei muito do texto e continuo a achar que devias estar naquela rubrica semanal...

Aquilo onde estás prestes a entrar vai ser uma coisa completamente diferente...Conheço quem tenha estagiado num hospital psiquiátrico (também durante os estudos) e tenha saído de lá bastante afectado por isso. Vejo que passaste por muita coisa no Curry, mas o que vais ver vai atingir um nível diferente. De certeza, já estarás preparada para isso, mas tenta nunca que esquecer que são pessoas que estão doentes...como tantas outras pessoas com outras doenças. E tenho a certeza que vais sair de lá com imensas histórias engraçadas (e não só) para contar. Boa sorte, Dra da trança ao lado! Bj

Mary Jane disse...

Querida Cat,
não devias escrever estes posts. Tens noção de quantas pessoas agora vão a correr para o Júlio de Matos só para que sejam atendidas pela doutora de trança ao lado? Depois de um texto destes tenho a certeza que poucos médicos serão tão capazes de cativar como tu! Ah, tenho uma coisa muito gira para partilhar. Sabes aquele texto do Charlie Chaplin que deixaste aqui? Guardei-o, imprimi e no dia a seguir foi utilizado em plena consulta psicológica e foi um material riquíssimo!

Red disse...

Júlio de Matos rulles!!! xD

não queiras ser uma estagiária normal do 6º ano. os doentes não gostam desses, são chatos, um grupo, dois, três, quatro, ou até 5, so for um "doente colaborante" (they definitely didn't know me, eu estava doente, fraquinha, foi só por isso), de volta do mesmo doente, a fazer as mesmas perguntas chatas 5 vezes numa semana -.- not nice, damn it. maldita sobrelotação de estudantes, you know better than me.


lol

(sou tão ruim xD )

vá, sou nada, ser estagiário normal é fixe :D :D :D (depois de ter feito de papagaio demasiadas vezes no hospital também aprendi a não sobrecarregar os pobres dos meus presos que também passam a vida a preencher questionários. e fiz estagiários felizes num serviço de média de idades acima dos 75. always look on the bright side of life xD lool)

O Momento Perfeito disse...

Se estudasse Medicina psiquiatria seria área que seguiria, deve ser qualquer coisa!! Ainda bem que amas assim aquilo que fazes, certamente que médicos assim como tu são futuramente bons médicos, e eu tenho cá uma em casa que também delira com isso tudo, e ainda só está no 4º ano.. Beijinhos*

Lady Me disse...

Parabéns Catzinha! És um exemplo a seguir! deixaste-me de lágrimas nos olhos! Tanta paixão! Que ela dure para sempre e que psiquiatria de faça sentir mais realizada do que nunca! :)

Roxanne disse...

parabens! és um exemplo!

e boa sorte com psiquiatria! eu adorei! ;)

GATA disse...

É de louvar alguém que gosta do que faz - seja médico ou padeiro. É de louvar alguém que quer ser médico pelas razões expostas, e não porque é tradição familiar. Se há profissão para a qual é necessária vocação, é a tua. Já agora, também é necessário coração... Infelizmente conheço os hospitais desde os 10 anos e vi muitos colegas teus que ou perderam ou nunca tiveram coração e que tratavam os doentes como coisas...

honney m disse...

adorei, ainda bem que estás a gostar do tei trabalho (:
segui-te :D

Hermione disse...

os estágio são sempre momentos de descoberta e onde se vê a essência das nossas profissões =)
beijinho e boa sorte para o próximo

SuFerreira disse...

Gostei TANTO de ler =) Precisamos sobretudo de médicos com vocação por isso mesmo parabéns =)

joana disse...

Ler isto para mim é muito importante.
Julgo que sentiria tamanha paixão como tu.

м♥ disse...

espero que daqui para a frente tudo corra bem e no fina possas dizer o mesmo que disseste agora. boa sorte

Kikas disse...

vou-te requisitar para minha médica :) é que nem escapas! médicos como tu, a sentirem tudo isto, é o que faz falta :D

Navajovsky disse...

Caramba, não vejo o dia de lá chegar.

Já agora: gosto muito do teu blog, da tua energia, do teu sentido de humor. Quanto for grande quero ser um bocadinho como tu =D

MAG disse...

A minha prima também esteve uns mesitos no Júlio de Matos no 6.º ano e gostou. O único que ele não gostou foi o Amadora Sintra (e ela que falava tão bem dos médicos de lá...).

Bjs e Boa Sorte

Shizuka disse...

Cat,
Nao te conheco mas, hoje nao consegui clicar no X la em cima antes de te dizer que te acho Fenomenal. Fico contente por saber que ainda e possivel encontar na blogosfera, na vida, nos caminhos que se cruzam pessoas como tu. Sei que e bizarro dizer isto com base somente nas palavras que aqui escreves ms e o que me fazes sentir. Para ti, desejo o melhor dos melhores, miuda. Sinceramente e do fundo do coracao. Hoje e sempre. Bj

Cat disse...

lisbon new-yorker, ahah, não morrias nada!

Sofia, :)

Rosa Cueca, obrigadinha então :)

Jedi Master Atomic, não é uma coisa que se deseja a uma pessoa que não seja profissional de saúde, encontrá-la num hospital :P

Irina, nem imaginas tu as coisas que são possiveis. TUDO é possivel! :P

Nokas, mal disposta?

cereja, então muito bem vinda :)

Rita, podes crer, é esse o sentimento!

Croquete e Girassol, acho que é impossível separar o crescimento profissional do pessoal, na medicina. É o que tenho sentido.

Caia, :)

Reese, obrigado :)

*B*, ooh pá, isto hoje ainda vou às lágrimas! :)

Pedro, bem dito!

Gema, andaste na Padre? É aqui mesmo ao pé da minha casa!

Fresco_e_Fofo, é o que desejo também.

...Ju..., e vais amar, tenho a certeza. Já faltou mais, darling!

S*, :D

Zaahirah, oh não fiques!

Bê, muito obrigado, minha querida :)

JB, já tive contacto com doentes psiquiátricos, tive Psiq. I e Psiq. II no 4º e 5º ano. Claro que isto vai ser mais intenso, sei disso. Estou preparada, penso eu :)

Mary Jane, ooh que bom saber! É um texto fantástico, não é? Bem, espero que ninguém vá ao Júlio de Matos por esse motivo :P

Red, pois, eu sei muito bem o que é isso. Vivi os últimos 5 anos numa faculdade super super sobrelotada. Não vai ser assim no Júlio, espero, acho que é 1psiquiatra para 1estagiário :) não podes dizer "always look on the bright side of life" porque fico logo com vontade de assobiar! :P

O Momento Perfeito, Psiquiatria é qualquer coisa :)

Lady Me, obrigado querida, espero que sim porque é uma sensação deliciosa!

Roxanne, espero gostar muito também!

GATA, também os conheço.

honney m, bem vinda!

Hermione, que bom que também gostaste do teu!

SuFerreira, obrigado, acho eu :)

joana, :)

м♥, espero que sim!

Kikas, sempre às tuas ordens :)

Navajovsky, és da fml? Eu sei que parece que o dia nunca mais chega.. mas olha que chega. E quando chegar, aaaaii, compensa tanto tudo o que se sofreu durante os outros anos :) beijinho e boa sorte.

MAG, também vou para o Amadora-Sintra depois, fazer Obstetricia e Pediatria. Espero gostar.

Shizuka, muuuuito obrigado pelo comentário, fico emocionada :')

Maria Inês disse...

Viva a Medicina e a Farmácia \o/

Convivo mais com estudantes de Medicina do que com os da minha faculdade (que não se dignam a dar uso à biblioteca), e admiro a fibra e a pachorra que têm para nos aturar *_*

Seriamente, pensei em ir para Medicina, ajudar pessoas e tal, mas desastrada como sou, ainda matava alguém.
Por isso fui para Farmácia, assim se me enganar nas contas, posso por as culpas no Director Técnico :P

Rita disse...

=) Vai correr tudo bem! E a motivação não há-de desaparecer! *

Cat disse...

Maria Inês, também já estudei na biblioteca da faculdade de farmácia :P já com farmacêuticos ainda não tenho experiências pra contar. Hei-de ter! :) *

Rita, assim espero :)

trintona disse...

Gostei muito do teu testemunho. Desejo-te todas as felicidades para a tua carreira porque precisamos de mais médicas como tu.
Muita força e boa sorte!