18 de janeiro de 2011

primeiro dia tranquilo. tranquilíssimo. até demais pro meu gosto.

a única coisa excitante que aconteceu foi estar num gabinete trancada à chave com um doente e ele começar a estrebuchar e a revirar os olhos enquanto gritava que o espírito santo estava a descer sobre ele. 

Cat, depois de frear um rápido impulso (só uma fracção de segundo) de  se atirar em voo pela janela - o que seria mais rápido do que destrancar a porta para fugir - aguardou calmamente que o espírito santo se retirasse, ansiando que o dito cujo, com tantos momentos pra descer à terra, não voltasse a escolher um assim, inoportuno.

20 comentários:

disse...

Começas bem ;-)
Onde estás agora querida?

Espada disse...

Tu chegas e o Espírito Santo aparece!!!
Uhmm.....

:D

Suspiro disse...

E foi só o começo, olha só quando aparecer o Demo..... Tu foge a 7 pés! ;) beijocas

Nokas disse...

Ui...medo!

S* disse...

Ficava cheia de medo. ahahah

Miss Murder disse...

Vais ter muitas histórias giras para contar, vê o lado positivo!

Cat disse...

Bê, no Júlio de Matos, querida *

Espada, LOL, não que eu não quero cá relações próximas com espiritos nenhuns.

Suspira, entre o Demo e o Espirito Santo, é-me um bocado indiferente :P

Nokas, um bocadinho só.

S*, acredito :P

Miss Murder, pois, não sei..

JB disse...

E porque razão, sra Cat se trancou à chave (!) dentro de um gabinete com um homem que pode usar a desculpa "ah e tal, foi o espirito santo que aqui está que mandou" para poder fazer aquilo que quiser? Acho mal dona Cat...(Eu, pra que isso aconteça, normalmente tenho de falar de muito mais para alem do espirito santo...lol) Bj

Cat disse...

JB, porque no Júlio de Matos absolutamente todas as portas estão trancadas, seja a da rua, a do wc, a da salinha com a máquina de café. É politica sempre que passas por uma porta, abri-la com a tua chave universal e voltar a trancá-la (o mesmo se aplica aos gabinetes). Descansa que por mim, não me trancava lá com ele, não :P

JB disse...

Lol, isso é um bocado perigoso para quem la trabalha. Não sabia dessa politica e pensei que apenas se aplicasse a portas exteriores...Mas nesse caso, não deve ser fácil socorrer alguém se for preciso...Como nunca lá entrei (o que acho que é uma coisa boa) estou a imaginar um corredor cheio de portas e uma pessoa a atravessa-lo de um lado ao outro. Destranca, abre, tranca...Nunca mais la chega...(eu sei...ainda ontem me disseram que tinha uma imaginação muito boa para fugir à realidade) Mas pelos vistos tem janelas, o que já é bom...É o que eu chamaria de atalhos...Bj

Rita disse...

um bom começo portanto...*

...Ju... disse...

calmo, portanto! viste a descida do espirito santo no primeiro dia e queixas-te? :P

Fresco_e_Fofo disse...

Não aproveitaste para pedir um empréstimo com um spread baixo? loool

Bjs

Cat disse...

JB, não é imaginação, é mesmo assim :P Com a única ressalva de que, pelo menos, o pavilhão onde estou não tem nenhum corredor enorme cheio de portas. Os corredores tem bifurcações :P Tem janelas e é rés-de-chão. Mas haaan, não é muito fácil socorrer alguém não.[ podemos antes pensar que não vai ser necessário socorrer ninguém - especialmente eu! - podemos, podemos? ]

Rita, pois..

...Ju..., aquilo é muito parado --'

Fresco_e_Fofo, AHAH! É logo o que Espirito Santo me faz pensar :P

DANIELA GASPAR disse...

fenomenál. já me estou a visualizar na situação tipo, parada a olhar, com um enorme ponto de interrogação na cabeça e um ar estilo . WTF?

Red disse...

ei, então? espírito santo... once in a life time!!! (ou não, para quem trabalhe na psiquiatria xD )

joana disse...

Adoro ler estas tuas "aventuras"... :)

Lady Me disse...

Ahahahah! Não ia achar muito normal, depois vi que estás no Júlio de Matos e achei mais normal. LOL, eu acho és uma abençoada! Não é qualquer um que tem o espírito santo no consultório! Ahahahah!

*B* disse...

Realmente, que inconveniente!

;p

Cat disse...

DANIELA GASPAR, sim, foi essa mais ou menos a reacção !

Red, então também não sei! :P

joana, espero ter muitas mais pra contar :)

Lady Me, o conceito de normalidade é realmente uma coisa que varia com o contexto ;)

*B*, pois, já viste?!