25 de janeiro de 2011

Bravo, Ragazza, Cosmo, Happy, Vogue, Nenhuma.

É a evolução do meu consumo de revistas femininas, desde a pré-adolescência até à actualidade. Atente-se  na última transição (atentaram?) espectacular e onde, maduramente, estagnei. 

Coisas idiotas das revistas femininas

um, capa:  muito originais, sempre. Uma tipa altamente photoshopizada com um cabelo perfeito, uma pele perfeita, umas curvas perfeitas e o sorriso número 3. AH! Excepção feita à capa da Happy, onde a dita cuja ostentará alta tromba e um modelito que nos deixará sempre na dúvida se ela está a tentar encarnar um ser galáctico ou o robocop.

dois, os conselhos de beleza das famosas: siiim, porque basta bebermos 1,5L de água por dia, usar creme hidratante depois do banho, exfoliar a pele uma vez por semana, usar máscara no cabelo e dormir 8horas por dia para ficarmos logo ali tipo Angelinas Jolies em série.

três, os conselhos sexuais: Tão fáceis de visualizar mentalmente como de executar: sente-o numa cadeira confortável enquanto passa a perna direita por cima da cabeça dele e a perna esquerda por cima do braço da cadeira, enquanto apoia as suas mãos no chão ao mesmo tempo que lhe passa um cubo de gelo pelo corpo com a boca e lhe massaja os testículos com a mão livre. [ oi, existe alguma mão livre?]

quatro, o incentivo a coisas moralmente incorrectas como solução para todos os problemas da vida: Traições, [depois de trair o seu marido, a sua relação ganhará um novo alento], ser prostituta por uma noite, contratar um acompanhante de luxo, swing vouyerismo, sexo a três, sexo a mais de três, sexo com desconhecidos, sexo com mulheres, sexo em locais públicos e todas as coisas que tenham a palavra sexo e não incluam o namorado/marido, que isso já é uma coisa old school.

cinco, relatos de experiências esotéricas de todos os tipos: [ se não existissem testemunhos, uma pessoa ainda duvidava mas assim, como pode? ]. Astrologia, tarot, quiromancia, leitura do futuro em bolas de cristal, búzios, folhas de chá, reencarnações e vidas passadas e vidas futuras e vidas paralelas, numerologia, auras. 

seis, o preço ridículo da roupa das páginas de moda: uma pessoa que pode comprar aquele vestido Chanel vai aos desfiles de alta costura para se inspirar. Não compra a Cosmo.


sete, mais fotos de mulheres do que homens.



Coisas não idiotas das revistas femininas

um: a - mais ou menos recente - mania dos vouchers. 

dois: quê, os vouchers não são bons o suficiente? Exigentes dum raio! Não há ponto número dois que até se lixam.


37 comentários:

disse...

Só muito espodaricamente, tipo de férias, no Verão, quando me esqueço do meu livro em casa (quase nunca, felizmente), lá compro uma ou outra, para chegar à mesma conclusão que tu.

Angela Soeiro disse...

8. Mais de metade das páginas da revista são publicidade

9. os preços exorbitantes das mesmas

Ajudei?

GATA disse...

As revistas femininas só são boas para quando ando de avião, pois não consigo pensar fechada a não-sei-quantos-mil-pés de altitude!

Nem com vouchers me convencem!

Dina disse...

Um pouco exagerado, mas sim a essência está cá toda! :) Mas de vezes em quando até se consegue encontrar um ou outro artigo interessante. Mas admito que compro muito raramente...

Odalisca disse...

LOOOL gostei principalmente da descrição número 3, ou andas a ler muita resvista ou és muito criativa eheheh :P
Eu à anos anos anos que não leio uma revista dessas!
Beijinhos querida**

Bimba!! disse...

Olá! queria dar a conhecer um novo blog de roupa nova e em 2º mão, tem coisas girissimas a preços acessíveis!!

PASSA LÁ TEM UM PASSATEMPO A DECORRER TB...

http://bimbadiol.blogspot.com/

http://boutiqueanita.blogspot.com/

BEIJINHOSSSS

*B* disse...

[lol]

Excelente!

;D

Irina disse...

Isto parece a descrição da happy de uma ponta à outra. :x Mas confesso q sempre gostei da Happy pelas capas, só mesmo isso, pq por dentro por favor. Ao menos a capa sempre era diferente de tudo o resto.

Oh Cat, mas toda a gente sabe que as mulheres não compram essas revistas para ver homens. Aliás tenho quase certeza q sempre aparece um num anuncio passa despercebido. Isso de comprar revistas para ver o sexo oposto é coisa de homem (playboys, maxmens e afns!)

Quanto ao ponto número dois, não basta isso mas confirmo-te que ajuda. Qué dizér, não virei nenhuma Jolie mas já me ajudou bastante. ahahah

Rosa Cueca disse...

Por acaso tenho deixado de comprar revistas.
Lembro-me de comprar na altura a ragazza quando as minhas amigas ainda liam a bravo e babavam com o Nick Carter. Eu achava-me muito mais adulta que elas.
(inserir ironia)

Jedi Master Atomic disse...

(Jedi senta-se na poltrona, reclina-a e põe a mão dentro do balde de pipocas pronto para as trincar furiosamente, enquanto lê as reações a este post da mulherada daqui)

Nokas disse...

Hoje em dias as revistas só têm publicidade e mais nada!

Gelatina de morango disse...

Eu parei na Ragazza mesmo, a long time ago...se há dinheiro que me custa a gastar é com revistas.

Rita disse...

O que eu já me ri com este post!

uma vida de Sapo disse...

É bom saber que existem analistas críticas à (minha futura revista) Vogue e que fazem, sim, críticas construtivas.
Quando eu for Editor-Chefe da Vogue prometo modificar metade desses artigos sem interesse x)

E sim, arrancaste-me umas valentes gargalhadas com este post.

beijinho *

Hermione disse...

ahahah muito bom xD falta aí a 'super pop' =p

Red disse...

no fim de semana deitei fora toda uma adolescência de cosmopolitans. :O (quando nem podia com os sacos p'ra levar aquilo pró ecoponto é que me apercebi da gravidade da fase -.- )


mas a minha evolução foi mais jornal a bola - bravo - ragazza - cosmopolitan - record
(diário de coimbra e beiras todos os dias lidos online. loool p'ra quem comprava a cosmo todos os meses, agora revistas é só no cabeleireiro e não ponho lá os pés muitas vezes.lool)

Maria Inês disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Inês disse...

Pois a sujeita da Happy Woman nunca tem cara de Happy e parece sempre que a estão a torturar... <_< não sei se é de propósito mas nem dá vontade de comprar a revista!

...Ju... disse...

lol! bem observado!

silvia disse...

A minha evolução foi como a tua!
Gostei da análise! Revi-me bastante nela! ahahaha
beijinhos ^__^

ADEK disse...

Compro muito regularmente a Cosmo. E penso sempre "Adek Maria, não acredito que compraste mais uma...". Mas não resisto... :X

Maria Inês disse...

No ponto seis, ainda se mandassem os modelos da roupa como faz a Burda (ai santa mãezinha!) ainda dava pra fazer os ditos vestiditos....mas de certeza que vinham as casas de alta costura a protestar por causa dos direitos de autor.

Fresco_e_Fofo disse...

Sempre me interroguei sobre a razão de existirem revistas desse tipo.
Existem porque há leitoras, ou há leitores porque as revistas existem?
Quem nasceu primeiro? O ovo, ou a galinha?

S* disse...

Os conselhos sexuais NÃO FALHAM. Basicamente, o nosso sonho de vida é ser uma vida sexual.

"sente-o numa cadeira confortável enquanto passa a perna direita por cima da cabeça dele e a perna esquerda por cima do braço da cadeira, enquanto apoia as suas mãos no chão ao mesmo tempo que lhe passa um cubo de gelo pelo corpo com a boca e lhe massaja os testículos com a mão livre." PORRA!!

Sofia disse...

Hahahaha muito bom!! fartei-me de rir com os conselhos sexuais... eu ainda não sou tão madura como tu, de vez em quando ainda fraquejo para uma cosmo ou assim... shame on me, shame on me

Dexter disse...

Aaha excelente post! Eu não faria melhor (repara na modéstia desta frase)!

__leaving_to_live__ disse...

Agora tornei-me fã da Courier Internacional.
Quando fores grandes, serás fã do NEJM.
Revistas não faltam, já estamos é fartos de tanta letra, o dia inteiro. Né mesmo?

Catarina disse...

Adorei este post. Não, a sério. Ainda ontem fiz a defesa do meu relatório de estagio (do Mestrado) sobre revistas femininas e as implicações que têm nas mulheres ditas "normais". Penso exactamente como tu, mas, tenho pena de não ter exposto certas hipocrisias das revistas femininas quando era mais nova (na altura venerava-as quase). :P Anyways, good point.

Lady Me disse...

Foi a minha sequência também. Já não compro uma revista prai há 2 ou 3 anos! Quando reparei nessas coisas todas e noutra! Tinha-as todas em casa em 5 anos em que comprei revistas e guardei tinha mais 700€ gastos nelas!

Lolita disse...

tens razão.. :*

Cat disse...

Bê, nessas ocasiões, eu também ;)

Angêla Soeiro, 8. concordo, 9. concordo.

GATA, e pra quando se está na praia!

Dina, aqueles artigos de psicologia positiva? :P

Odalisca, eheh, sou muito criativa ;)

*B*, ^^

Irina, não é uma descrição da Happy. Os pontos 1, 2, 3, 6 e 7, pelo menos, são comuns a todas. A Happy é diferente das outras, sim. Mas quando é sempre igual a ela própria, quase sem variação nenhuma de uns números pros outros, perde muito. É igual a ela própria. Sempre, sempre igual.

Rosa Cueca, tive o mesmo sentimento. A Ragazza - comparada com a Bravo e outras do género - era realmente espectacularmente evoluída. Nick Carter sucks.

Jedi Master Atomic, enjoy the show! ;)

Nokas, verdade, mais de metade das páginas são publicidade.

Gelatina de morango, é mesmo dinheiro inútil!

Rita, que bom x)

uma vida de Sapo, tu queres ser editor chefe da Vogue? ...[prometo que pra próxima serão mais construtivas do que foram agora!]

Hermione, na na na, eu era fiel à Bravo e achava a Super Pop uma porcaria (siiiim porque a Bravo era uma revista de excelência, sem dúvida!)

Red, orgulho-me da tua evolução! Apesar de não compreender bem o interregno Bola/Record!

Maria Ines, e, paradoxalmente, a revista chama-se... happy!

...Ju..., eheh :)

silvia, Bravo é muito triste. Mas olha que tenho ideia da Super Pop ainda ser pior!

ADEK, olha, faz como se diz aos fumadores: deixa de comprar revistas, põe o dinheiro numa latinha e no fim do ano, vais viajar!

Fresco_e_Fofo, acho que nasceu primeiro a revista. A verdade é que se não compensasse e fosse rentável, não existiriam tantas, não.

S*, tens testado, é? ;)

Sofia, LOL, deixa lá isso!

Dexter, ahah, isso sim! é modéstia! :)

__leaving_to_live__, eu já fou fã do New English Journal of Medicina. Mas não se inclui propriamente na categoria de revistas femininas ;)

Catarina, parece que passámos todas por essa fase quando éramos mais novas, não é?

Lady Me, 700?! Fogo, já viste? Aos poucos, até parece que é pouco.. afinal!

Lolita, :P

lisbon new-yorker disse...

lool impressionante! Concordo com tudo! Já agora, se as revistas masculinas estão cheias de mulheres em trajes menores porque é que as nossas não têm homens nus?? Isto é material para uma revolução meninas!

Lady Me disse...

Pois! Se fosse guardando aqueles 2 e 3 euros num mealheiro juntava uns bons trocos! É triste mas pronto, já passou!

Red disse...

eu sou do sporting. só devia ler jornal desportivos uma época por década -.-'

Cat disse...

lisbon new-yorker, não se entende!

Lady Me, agora és uma pessoa modificada :P

Red, aaah, estou a ver! x)

Joana disse...

Eu ainda sou do tempo em que a Ragazza era uma revista de moda interessante e em que todos os meses a comprava. Agora, já nem a Blitz compro. Revistas de qualidade, já restam poucas... lol

Kikas disse...

eu tive exactamente a mesma evolução de revistas femininas, mas acho que vou parar na happy. já "li" (oi? o que há para ler?) duas vogues e não gosto naaaaada.
não leio os conselhos de beleza, o que dizem sobre sexo é uma fantuchada tremenda, aquelas histórias de algumas mulheres dão sono, a pouca roupa a preços acessíveis não está disponível nas lojas.. e ainda têm a agravante de me deixar terrivelmente apaixonada por relógios e a nossa história ser sempre sempre sempre fatal. o pior de tudo? nunca usei um voucher. grave, muito grave.