8 de junho de 2010

Tão ficção que é quase científica.

Gosto de séries de médicos, apesar de não acompanhar nenhuma religiosamente. E fico toda excitada por já compreender praticamente toda a parte médica e técnica. No House, às vezes, até consigo pôr as mesmas hipóteses diagnósticas que a equipa dele - que, claro, apesar de serem as óbvias nunca são as correctas porque só o boss é que domina aquilo. 

Mas o dia-a-dia de um hospital é tão distante - far far far far far far far away - daquele que é retratado nas séries - como deve acontecer com as séries de advogados, as de polícias, as de enfermeiros, as de juízes. Todas.

1. Ora o Estado não anda a pagar para os médicos andarem, em tempo útil, a pinar uns com os outros em tudo o que é maca, sofá e recanto, como na Grey's Anatomy, onde já todos andaram com todos (quando se acabaram as combinações, introduziram as lésbicas).

2. Os médicos têm especialidades e, além deles, trabalham no hospital, enfermeiros, auxiliares de acção médica, técnicos de saúde, pessoal admnistrativo, assistentes sociais psicólogos e etc. Portanto é completamente irreal ver um médico a fazer diagnósticos, dar medicamentes, recolher sangue para análises, fazer uma TAC, escrever no quadro de enfermagem, telefonar para a família, ir a correr buscar um órgão para transplante, operar. O trabalho é distribuído. 

3. Os médicos não são quase todos giros, como nas séries. A coisa é até bastante escassa. Cá, os médicos são uma classe envelhecida. O único, das dezenas, talvez centenas, que já conheci que era assim mesmo um pedaço de mau caminho, chamava-se Emanuel. Portanto, não conta. Não consigo lembrar-me dele sem começar a trautear música pimba do homónimo. 

4. As Urgências não são assim um sítio tããão interessante como isso, cheio de verdadeiras emergências, com maqueiros a correr de um lado para o outro, com pessoas que padecem de doenças eminentemente fatais e se estão a esvair em sangue. Aparecem muitas coisas banais, sem graça nenhuma. Em Portugal é nisso um país particular(mente mau). As urgências de um hospital são um sítio onde as pessoas, às vezes, acordam e têm vontade de ir. Ora hoje hei-de ir passear ao café? Ao Zoo? À FNAC? Olha, não, vou passear às Urgências de Sta. Maria. E depois estão cinco horas à espera - a apanhar um banho  aéreo de bactérias que é uma mimo - para mostrar um dedo que lhes dói ou para dizer que acordaram com dorzinha de cabeça ligeira que passou com o benuron. Ou então só para dizer olá.

5. Quando os médicos estão de banco há 24 horas não têm, de todo, o bom aspecto, a maquilhagem e a frescura que eles têm nas séries depois de um banco de 24 horas.





Estudantes de Medicina e internos mal tratados? Check! Nisto podem confiar.

34 comentários:

C'est la vie disse...

Adorei especialmente este post.

blue.star disse...

Apoiado! As urgÊncias podem ser totalmente booooring :|

a Gaja disse...

Eu já apanhei um enfermeiro giro no centro de saúde...mas é algo escasso de se ver,lol. Era bom que isto fosse uma anatomia de grey,lol, começava a ir ao hospital mais vezes...era mesmo: ah e tal não tenho nada para fazer então vamos até às urgências ver os bacanos que por lá trabalham...lol
Vida de enfermeiro não deve ser fácil...

Jedi Master Atomic disse...

looooool

Há uma coisa que eu nunca concordei nem nunca irei concordar. É os médicos (enfermeiras, etc...) fazerem tantas horas seguidas sem dormir. Numa área em que qualquer falha de atenção e concentração pode ser fatal acho absolutamente idiota um medico estar acordado 24h seguidas, ou mesmose forem só 12h.

Imagino se fizessem isso aos controladores de trafego aereo.

Dexter disse...

Adorei o post, especialmente porque se passa o mesmo nas séries de advogados.

Aquilo dá sempre a sensação de que vida de advogado mais parece a de um detective, que é tudo cheio de suspense, adrenalina (de vez em quando é, especialmente quando estamos em tribunal e somos encavados pelo outro advogado)...

Mas na realidade acaba por ser meio seca. Os casos por vezes são tão excitantes como uma corrida de caracóis coxos, e advogados e advogadas giras...bem, cá no escritório isto é MUITO mau.

Ana disse...

Olha Cat, estou 200% de acordo contigo e com o Jedi, quando diz que é mau uma pessoa ter de ficar tanto tempo acordada... é verdade, há sempre muito mais hipoteses de haver erros... enfim, mas como é disso que vivo, vou ali ao hspital fazer 3 turnos (tarde, noite e manhã) e já volto :), já volto mas só amanhã.. e Cat, se descobrires qual é a maquilhagem usada nas séries que aguenta 24h... avisa :) ***

Lady Me disse...

Eu sempre tive esse palpite! ;)

Red disse...

e as ciências forenses are so not csi.. lol

(tenho de ver o "in treatment" do gabriel byrne pra ver se é alguma coisa de interessante. agora descobriram essa grande raça (*.*)que são os psicólogos, que é que se há-de fazer ;) )

Zaahirah disse...

Então e a parte de irem a casa das pessoas vasculhar tudo à procura dos fungos fatais? Não me digas que é mentira também!!??? :O

Mulher, arruinaste-me a vida de ilusão em que vivia!!

xD

Hermione disse...

ahahah adorei. e olha que antes eu era tão 'daaah' (as vezes ainda sou va) que delierava a ver o ER e era um dos principais motivos que me levavam a querer ser médica, aquela adrenalina toda... lol depois passou-me :p

mary disse...

é, faltou-me essa parte das series no meu post das ilusoes! x) porque realmente fazem essas profissoes parecerem tao fixes e excitantes e com tanto gajo giro... ha uns anos, quando via o match point, embirrei que queria ser advogada. que a vida dela era o maximo. depois, comecei a amar a anatomia de grey e pensei 'tenho que ser medica para ter esta vida'! depois, comecei a ver o c.s.i nova iorque e o miami e pensei 'vou para investigadora criminal, que o trabalho deles é brutal', DEPOIS, ainda passei pelas 'mentes criminosas' e achei que psicologia criminal era o ideal! ate que desci à terra e acabei por concordar que não, pelo menos aqui em Portugal, e se tivesse que apostar, diria que no resto do mundo tambem, os trabalhos não são assim. Televisooooes, parem de nos mentir, bolas!

Izzie disse...

bem me parece que não é nada assim. não há McDreamys nem McSteamys nos hospitais de portugal. uma pena...

...Ju... disse...

não diria nada melhor! a unica parte que bate certo com as séries é o sofrimento dos estudantes de Medicina e dos internos! :P

estiveste mtoooooo bem! :P

Vânia disse...

É mesmo isso Catzinha! Por isso é que eu não escolho nenhum curso que me meta em hospitais.

Não há assim tanta coisa interessante e essas séries de médicos só servem é para enganar classes mais estúpidas que não entendem que aquilo não passa de uma série!

É como o CSI, julgam que um caso de homícidio fica resolvido em 2 horas? Que piada!

Enfim .. as séries as vezes levam a muitooos enganos, mas eu vejo-as e rio-me com um par de acontecimentos que por vezes ocorrem!

Eu no CSI, muitas das vezes, advinho logo quem matou quem..

Beijinho

YeuxdeFemme disse...

Nenhuma série é igual à realidade.
Séries são novelas, mas em inglês. Umas melhores que outras, umas dadas ao exagero ou à falta dele e ao pouco meio termo.
Ainda assim, é giro de se ver porque representa aqueles meios bocados da vida.
Gostei da opinião. Mas tinha algo a dizer sobre a questão das lésbicas... :)

Loira disse...

As personagens das series são bem mais interessantes.

Quando estive nas urgências de um hospital apareceu lá uma mulher, ao qual lhe perguntei porque estava ali, responde-me "Estava em casa a ver a novela e acho que me doeu o joelho e vim aqui".

Nunca a Meredith ou o Sheperd têm doentes tão interessantes como estes.

Rainha de Copas disse...

Oh Cat! tão?! Impõe-te! não deixes que te façam a folha.

Vânia Pereira disse...

Concordo plenamente :D

Cat disse...

C'est la vie, obrigado :)

blue.star, ah pois!

a Gaja, tu nem te atrevas a fazer isso, mulher. Bem bastam todos os emplastros que já circulam pelas urgências!

Jedi, e eu então nem imaginas como discordo. Eu agora, que ainda não faço bancos, nem que esteja só, sei lá 5horas nas urgências saio de lá estafada, com a sensação que preciso de dormir um dia inteiro. Porque é um stress enorme, imensa pressão. Nem imagino o que serão 24horas. Infelizmente, brevemente, já vou saber :X

Dexter, pois, sei que já tinhas escrito uma coisa parecida sobre as séries de advogados. Também como eu suspeitava.. ;)

Ana, pobrezinha. Para o ano também começo eu nessa vida miserável, snif --'

Lady Me, ahah, pois :P

Red, bem que suspeitava. Mas isso engana bem, especialmente os miúdos que agora querem todos ser criminologistas!

Zaahirah, aaaaah, desculpa! xD

Hermione, acho que todas as pessoas quando são mais novas são um bocado susceptiveís de ser influenciadas pela ficção :P

mary, dessas todas a minha série preferida é "mentes criminosas", brutal. Mas lá está. Sérieeee! :P Entretanto crescemos e compreendemos isso :)

Izzie, nem nos portugueses nem nos outros, suspeito :P

...Ju... , queria tanto que essa parte não fosse verdade!

Vânia, CSI então, pff.. Se alguém quer ser polícia por causa daquilo vai ter muitas desilusões ! xD

YeuxdeFemme, então diz lá! :)

Loira, pois não, os doentes deles são tooodos super entusiasmantes e interessantes. Ora o que essa senhora te disse é mesmo representativo do que são os doentes das urgências --'

Rainha de Copas, oh, eu bem que tento. Mas não é fácil!

Vânia Pereira, ;)

Suspiro disse...

Se fosse retratada toda a realidade não tinha piada ! ;)

disse...

Embora adore a Anatommia de Grey, tenho a plena consciência disso - da irrealidade das coisas. A este nível penso que o ER era bem mais próximo da realidade - série onde até o recepcionista tinha algum destaque.

Fresco_e_Fofo disse...

Ponto um - Que lindinho :D Com um ar tão, humm, sei lá, 70s? :D
70's, sim. Aí por 76(+ -).
Lindinho... "ela" também achava (agora já não tanto eheheh). Lindinho mas, sobre tudo, limpinho e cheiroso (ou então "ela" era uma grande aldrabona, coisa que não se veio a verificar até hoje eheheh).
"Prontes".

Ponto dois - Séries... vejo pouco, mas também acho pouco reais algumas cenas de hospitais. Familiares de doentes a assistirem, nas urgências, aos "entes queridos" a darem o "peido mestre"; os tais "casos" entre colegas... pois sempre os haverá, mas nas séries até parece que é esse o tema principal. Grandes dramas eheheh.
O resto acredito na tua "experiência" e estou absolutamente de acordo com os "doentes" das segundas-feiras, desde o dia em que estive com "ela" na urgência e o médico nos disse literalmente: "escolheram um dia muito mau para virem às urgências".
No Posto médico é o mesmo. Vivemos num país onde os velhos são, na sua maioria, analfabetos que não sabem o que fazer à vida quando deixam de trabalhar e distraem-se no centro médico, mais que não seja para se queixarem das horas de espera que eles próprios provocam eheheh.
Eu sou "doente profissional" e não falho consultas nem medicamentos, mas detesto hospitais. Tenho pavor das bactérias resistentes, desde que apanhai uma infecção hospitalar na sequência de uma intervenção cirúrgica e entro em S. Maria sem saber o que fazer às mãos, para não tocar em nada. É capaz de ser um bocado paranóico, mas gato escaldado...

Bem, isto está a ficar com um aspecto de testamento e da próxima em vez de comentar, faço um post e aviso-te eheheh.

Bjs.

Kikas disse...

adorei, Cat :) eu gosto muito de ver este tipo de séries - apesar de, como tu, também não ver nenhuma assiduamente - mas tenho noção que aquilo não é nada assim.
só uma coisinha.. quando fui ao senhor doutor cirurgião, ai mãezinhaaaa :| não era giro mas era charmoso! tinha assim umas mãos grandes, transmitia uma confiança enorme.. se pudesse, tinha-o trazido para casa xD para a minha mãe, claro ^^

Patricia Alexandre disse...

Na falta disso tudo...as urgencias, hospitais não tem de todo o aspecto novo, asseado e moderno das séries....a não ser que seja hospital privado porque de resto...valha-me nossa

Red disse...

admito. a minha tara por medicina legal vem dos tempos da scully.

já da psicologia forense sou muito precoce, way before csi or criminal minds! lololol

Cat disse...

Suspiro, hum, verdade..

Bê, nunca vi muito o ER mas parece-me que o tema principal era mais o dia-a-dia nas urgências do que propriamente as relações amorosas dos médicos, como na Grey's..

Fresco_e_Fofo, não é paranóico. A maioria das pessoas é que não tem noção que correm um risco grande em sair das urgências com uma doença bem pior do que aquela com que entraram, é um antro de microorganismos :X

Kikas, ahah, queria-lo para padrasto? ;)

Patricia Alexandre, sim, já pra não falar disso.. x)

Red, e a medicina legal não te desiludiu? :)

Red disse...

na. só me desiludiu o caminho tão longo pra lá chegar. o que eu gostava mesmo era de abrir coisas. meeesmo. autópsias. abrir carne. por isso nunca me desiludiu, continua a ser a mesma coisa. fui ver uma e ainda gostei mais. lololol mas pronto. não abro corpos (até me dar uma de dexter. ou virar talhante. uma coisa ou outra) mas antevejo um futuro brilhante a abrir mentes. loool

Olhos Dourados disse...

Eu bem me parecia!!:p

ADEK disse...

Não podia deixar de comentar este post, Catzinha:P Só vou ser diferente das tuas opiniões em 2 coisas: não gosto de séries de médicos. Não sei pq, nunca gostei. Acho que as via como "trabalho", porque desde miúda queria ser médica, e as séries eram momentos lúdicos (isto com os meus 10/11 anos, não era nada pretensioso...NADAAAA:P Porque com essa idade o meu "trabalho" tinha tudo a ver com Medicina, ui ui XD). Por outro lado, tenho a dizer-te que este semestre foi o maior regalo para os olhinhos que já me aconteceu. Acho que os médicos giros estavam todos guardados para o semestre de cirurgia do 5º ano. ORL, Ortopedia (na urgência), alguns em cirurgia II, é todo um desfile que vale a pena. eheheh (Pediatria não, mas tem os putos e é giro na mesma)

*

YeuxdeFemme disse...

:)
Lol
Ok.
Primeiro: As lésbicas não se introduzem por falta de combinação. (a não ser que, na tua opinião, qualquer pessoa se possa introduzir. :))
São pessoas que existem em todos os lugares e vê, também podem ser médicas e enfermeiras e auxiliares. Se te passasse pela cabeça quantas existem, ui!, ficavas admirada. Lol. :)
Segundo: não tem haver com falta de combinações mas com o alargar de público. As duas personagens da série trouxeram novo público. Tratam-nas bem e dão-lhes dignidade. Óbvio que não sou naif, ao ponto de achar que eles fizeram aquilo apenas para o bem da população LGBT. :) Lol Foram pessoas espertas e com olho para a "coisa".
Enfim... está exposta a minha opinião. Não aborreço mais. :)

Kikas disse...

oh, não, que não queria ;)

Zuza disse...

obrigada vezes mil por este post.

ni disse...

apesar de constatares o que (infelizmente) qq um de nós escravos... ups... estagiários de medicina no HSM já reparou, tenho-te a informar que o ponto um acontece mais do que eventualmente imaginarás... mas para o ano será o teu 6º ano... e verás muita coisa, entretanto! ;)

keep posting! :)

ni

P. Cardoso disse...

a única vez que fui às urgência tinha levado com uma moto-serra na perna.

Tava osso à vista e tudo....

e o médico a coser-me e outro a dizer-lhe: "despacha lá isso pra irmos tomar café..."

boring ?!