1 de fevereiro de 2010

Não gostarem de nós é sempre impensável.

É muito mais simples inventar uma lista de quarenta e sete motivos para o fim de uma relação do que admitir, mentalmente, a ideia de que, como todas as outras coisas da vida, o Amor também é susceptível a ter um fim.

Há sempre bons motivos. Ou é a distância ou a falta de tempo ou os amigos dele que não a suportam ou são os pais dela que não o suportam a ele ou os objectivos de vida que são demasiado diferentes ou é a religião que não o permite (já vi, acredite
m!) ou foi porque uma terceira pessoa - essa cabra nojenta vaca gorda ranhosa (é sempre!) - se envolveu com ele ou porque ele quer ir conhecer o mundo, de mochila às costas e meditar com os monges do Tibete e ela quer uma vida estável, quer ser dona de casa e ter um rancho de filhos.

Muitas vezes, estes são mesmo os verdadeiros motivos. Mas, em muitas outras não o são e, simplesmente, uma das pessoas deixa de gostar da outra. Quantas pessoas já ouviram dizer Acabámos porque ele já não gostava de mim ? Poucas, aposto. E depois, entra-se numa espiral louca de tentar colmatar todos os supostos motivos que levaram à separação: arranja-se mais tempo, arranja-se mais dedicação, arranja-se mais tudo o que se pensa estar em falta.

Não se passou nada comigo, pelo menos, não agora. Mas já tive essa experiência e tenho reparado também nas pessoas que me rodeiam. E na tentativa louca que se faz para se justificar o que tem uma justificação tão simples. E, quando foi comigo, honestamente, teria sido muito mais fácil ter seguido em frente, se me tivesse dito só Já não gosto de ti. Que valente poupança de recursos, tempo, energia, choradeira, loucura que teria sido!



38 comentários:

Jonny disse...

Oi Catzinha :)
É verdade...Também vejo muito isso nas pessoas. Acho que às vezes deviam parar para pensar se realmente estão bem e se ainda gostam da outra pessoa antes de começarem a ir por outros caminhos. Apesar de às vezes ser difícil fazer essa avaliação, outras não o é.

Acho que o maior impedimento das pessoas, normalmente é o de se arriscarem a ficar sozinhas. Por isso, muitas vezes é preciso arranjar outra pessoa primeiro antes de deixar o namoro, o que, apesar de compreensível, é errado. Acaba por ser o oposto do "antes só do que mal acompanhado". Bj

Cat disse...

Jonny, olááá! Já estava com saudades suas, ó! :) E, nesses casos quase todos, o que fazia falta às pessoas era mesmo estarem sozinhas. Às vezes, é tão bom estar sozinho! Beijo *

Rita disse...

Eu acho que quando não se está bem com uma pessoa o melhor é deixar ir. Não tem mal nenhum ser-se solteiro.

Acho que tanto ter namorado como não ter são as duas coisas boas desde que nos sintamos bem.

E concordo contigo. Uma pessoa tem de ser crescidinha e honesta e dizer a verdade. A conversa pode custar mas a atitude é a mais correcta.

Moretti disse...

ufa! Se não fosse o teu adendo final eu teria mesmo pesando que ocorrera algo contigo cara Cat :)

♥ Guida disse...

Não deixa de ser fail :P É que as pessoas não são peças de roupa que a gente deixa de gostar no fim da estação. Pelo menos sempre é um motivo que me levaria a odiar a criatura que o dissesse. Bárbaro, estúpido, rapazolas mimado que não entende nada de namoros. Bah.


Beijinho

Swadharma disse...

Eu acredito que se deve sempre, em qualquer situação, deixar uma saída com dignidade para a pessoa. Com isto quero dizer que, se for preciso, devemos fazer-nos de estúpidos e acreditar numa dessas histórias. Devemos pensar assim: "A nossa relação virou cinzas... mas eu era a brasa. Tragédia para ti que jamais terás alguém que te ame como eu, pois eu encontrarei alguém a quem ame tanto quanto te amei a ti... ou pelo menos que o valha"
E seguir em frente, na medida do possível, com confiança em nós!

Whiskas*

*C*inderela disse...

É verdade, tudo o que começa poderá ter um fim :( E se for esse o caso mais vale as pessoas serem sinceras do que inventarem mil e uma desculpas na tentativa de minimizar os 'estragos'.

Bjokas*

Hermione disse...

se calhar porque verbaliza-lo o torna mais difícil, é sempre mais fácil desculparmos-nos com os outros do que connosco mesmos.. beijinho grande

Raquel disse...

Olá Cat,

Lá está... A sinceridade evita sofrimento. Para dizer a alguém: já não gosto de ti, é preciso tê-los no sitio e a maioria quer poupar a outra pessoa e diz: jão não dá, mas a culpa é minha, estou confuso...
E o fim que podia ser ali mesmo, arrasta-se meses a fio...
Em relação à outra que surge... pode acontecer a qq um e eu já fui essa outra e acredita... não gostei nada do papel. Não o aconselho a ninguém e se pudesse ter escolhido...mas no coração não se manda, dizem.

Gostei do teu post.

Beijinhos e boa semana.

ADEK disse...

True story!

Kikas disse...

tens toda a razão, Cat. com essas "desculpas" aquele que ainda gosta não perde a esperança e luta sempre, arranja mil e uma maneiras de combater o que está em falta.. e afinal, só consegue com isso mais uma desilusão.

[Cat, eu ando no décimo primeiro, não no décimo :p lool. o teste do décimo foi na sexta, o meu na quarta]

mary disse...

tu por acaso és uma mosquinha a ver o que se anda a passar na minha vida? :o estou, neste preciso minuto, a passar por algo do genero. e por muito que tente encontrar motivos, porque têm de haver!, se calhar não há mesmo. se nao ha mais vontade, se nao se contam mais os segundos para se estar juntos, se já é indiferente estar ou nao estar juntos, talvez, acabou porque sim... porque ja nao se gosta. mas, como custa mesmo muito dizer isto, vou continuar num frenesim louco à procura de porquês e de soluções. no fim, quando me cansar, vou-me render a tudo o que disseste aqui. porque é verdade.

Cat disse...

Rita, seja como foi, acabar uma relação custa sempre. Por isso, falar por falar, mais vale dizer a verdade. Acho eu! Sim, ter namorado não é um estatuto! As pessoas deviam conseguir sentir-se bem das duas formas :)

Moretti, não, não :)

Guida, claro que sim, é péssimo, é horrível, é triste. Mas se for verdade...!

Swadharma, mas à custa de sair com dignidade, às vezes, acaba por se perder a dignidade toda, durante os meses em que a coisa se arrasta mal resolvida. Beijo whiskas saquetas de peixe e marisco ^^

*C*inderela, e evita-se o típico "o problema não és tu, sou eu!"

Hermione, sim, mas precisamente por custar mais sermos nós próprios o motivo é que torna mais fácil seguir em frente: não tem solução, não se pode fazer nada.

Raquel, podiam evitar-se meses de uma coisa mal acabada. Claro que é preciso coragem, nunca é fácil, nunca. Beijinho

ADEK, infelizmente...

Kikas, é mesmo isso: se alguém nos disser que não gosta de nós, conseguimos "conformar-nos" mais facilmente do que mantendo uma esperançazinha.

Cat disse...

mary, oh querida, lamento imenso! :( Não digo que não possam existir mesmo motivos reais e concretos - porque podem! E, seja como for, acho bem que procures primeiro, antes de desistir. Mesmo que mais tarde acabes por constatar isto mesmo (o que espero que não aconteça). Beijo enorme *

S* disse...

Uma hipocrisia de todo o tamanho.

Dexter disse...

No meu caso, com a minha ex-namorada, o "problema" foi mesmo esse. Ninguém fez nada de errado, apenas se deixou de gostar. Neste caso fui eu o "culpado". Foi tão simples quanto isso, n podia inventar outra coisa...é um processo gradual em que chega a um ponto em que já n vale a pena estar a manter uma coisa onde uma parte já não puxa...

Pezinhos de Cinderela disse...

Concordo com tudo o que disseste, as vezes custa mais a algumas pessoas ouvir que não gostam mais delas do que ouvir "trai-te".

beijinho

Rosie disse...

é... nestas situações o melhor mesmo é ser directos... nem que seja pela outra pessoa...

Gabriela disse...

Curioso! Agora que falaste nisto é que tive mesmo noção disso - é mesmo verdade!

Cat disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosa Cueca disse...

Arranjam-se muitos motivos para se fugir ao "simplesmente não gosto de ti".
Em vez de criarem todo um mundo à volta de um discurso que podia ser uma letra do sam the kid, se calhar mais valia ser-se honesto.
If it's not meant to be, it's not meant to be. E eu acredito que para nós só há uma pessoa...

Cat disse...

S*, pois é!

Dexter, culpado com muitas aspas, sim. Ninguém tem a culpa, são coisas que acontecem.. Por isso é que parece sempre mais fácil inventar culpados, para se poder descarregar em alguém. Foste um rapaz decente, então! :)

Pezinhos de Cinderela, fizeste lembrar-me o Match Point, do Woody Allen. O personagem principal prefere matar duas pessoas a confessar uma traição à mulher :o

Rosie, diria mais: principalmente pela outra pessoa...

Gabriela, pois é! :/

Rosa Cueca, és uma romântica, não negues! :) Uma letra do Sam the Kid, das piorzinhas (não que alguma seja boa!) :P *

~ rita disse...

Isso é como o 'não és tu, sou eu', que nós nunca dizemos, embora possa ser a mais pura das verdades por acharmos que qualquer desculpa servirá melhor :x

Babs disse...

É verdade, mas se dissessem isso, a outra pessoa também poderia sentir "que insensível" ou tentaria encontrar, na mesma, razões para a outra pessoa ter deixado de gostar dela. Ou porque nao deu suficiente, ou pq nao isto e aquilo, ou pq deve ter encontrado alguém em quem está interessado, etc. Acho que o sofrimento não se evita assim tanto.

Zaahirah disse...

Sou a favor desse movimento, mas não com essas palavras, pode ser? Talvez um "já não gosto de ti da mesma maneira" ou um "continuo a achar-te uma pessoa fantástica mas já não me arrebatas o coração como antes"... pode ser?? :D

Pinkk Candy disse...

Totalmente de acordo, mais vale ser-se sincero do que inventar desculpas, porque como bem dizes, a pessoa a quem é dito isso, fica a matutar e a sofrer em vão, se ouvir uma falsa desculpa, com a verdade é tudo mais fácil (se bem que difícil, se ainda gostar, mas mais fácil para esquecer)!

XOXO

Odalisca disse...

Realmente é verdade... já recebi explicações mais espatafurdias que essas e valia mais terem dito a verdade... e eu em vez de ter facilitado devia era ter dado um par de murros e vir-me embora... isso sim teria sido de valor looooooool :P

Odalisca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
C'est la vie disse...

Já usei a frase "O amor desvanece. Já não é cuidado como antes e é essa a razão para o fim".

E foi há pouco tempo. O texto caiu me que nem uma luva.

C'est la vie disse...

Mas admito que para quem termina um namoro é bem mas muitoooo mais fácil arranjar um pretexto do que assumir tal coisa. Para quem ouve... bem diguemos que é mais dificil compreender.

Malinha viajante disse...

Completamente, a verdade acima de tudo, é preciso aceitar que é mesmo assim, às vezes o amor termina sem precisar de grandes razões...
bjs

Rita Moura disse...

É mais difícil dizer/ouvir um "Não gosto de ti" do que outra desculpa qualquer mas concordo que seja a mais fácil de esquecer..

Cat disse...

~rita, "não és tu, sou eu" é uma frase tão antiga como usada! xD

Babs, sim, todas essas coisas podem ser motivos para uma pessoa deixar de gostar de outra. Mas, muitas vezes, não existe grande explicação, são coisas que acontecem...

Zaahirah, ah, tu gostas de meias palavras :P Estou a brincar! Eu não disse que tinha de ser dito daquela maneira! :P

Pinkk Candy, porque o que não tem solução, já está solucionado. Não conseguimos obrigar ninguém a gostar de nós...

Odalisca, murros não, um pontapé entre as perninhas xD

C'est la vie, olha, um dia, se precisar, vou fazer uso desse texto :P

Malinha viajante, pois..

Rita Moura, e a prioridade deveria ser tornar a coisa mais facilmente esquecida..

Olhos Dourados disse...

Somos todos uns complicados.

Odalisca disse...

Só um? vários, para não ficar coxo loool
olha olha finalmenteeeee consegui que apareça actualizações do meu blog aqui... andei feita louca a barafustar as definições, nem sei o que fiz, mas já taaaaaaaaaaa!!! :D

beijinho**

Madame Pirulitos disse...

Não sei se as desculpas que se arranjam servem para proteger o outro ou o próprio.
parece que também se arranjam desculpas para não se sentir que se falhou.

Entraste na área que mais me fascina, não fosse eu terapeuta de casal!

Lady Me disse...

Pois, eu também acho que isso é capaz de ser melhor e mais honesto pra não haver "desculpas" mas mesmo assim a pessoa ficará sempre a pensar porque é que deixou de gostar...

Kikas disse...

e depois há o típico 'a culpa não é tua', ahah. como não me lembrei disso no comentário anterior? LOL