23 de novembro de 2009

Essa doença chamada homossexualidade.

Tanto disparate junto em tão pouco espaço!


Como podemos nós aceitar esta lei sem ficarmos incomodados? (...) Olhando bem
para essas criaturas de Deus, eles e elas vivem na vergonha e não sabem como sair
dessa situação e, acreditem, eles ou elas têm sentimentos de remorso.
Isto é uma doença como qualquer outra, como a doença bipolar, etc.
Vamos tentar ajudá-las e não empurrá-las para um abismo. Como podem os pais e nós todos ignorar estas pessoas que estão a precisar de ajuda?
Maria

[Carta de uma leitora publicada no Jornal Metro
(uau, essa grande referência da informação m
undial, eu sei!), a semana passada]



1. Criaturas de Deus? Ah pois, logo aí, ficam muitas coisas explicadas. Por essas e por outras é que eu sempre preferi ser uma criatura do Demo! (Muah ah ah ah!)

2. Ah, claro, essa doença perfeitamente estudada e documentada. Não é a gripe, não é a asma, não é a hipertensão, não é a hepatite, é a... (rufos de tambores!) homossexualidade! Ainda existem mesmo pessoas que acreditam que a homossexualidade é doença? É que a
minha avó tem 81 anos, toda a vida viveu numa aldeia e nem ela acha isso. A única doença que vejo aqui é que afecta tantas Marias e os Manéis deste país: Tacanhez Crónica.

3. Obviamente, sou a favor do casamento entre homossexuais. E da adopção também. E nem sequer acho que faça algum sentido ser a favor do casamento e não da adopção. Apesar de ficar em polvorosa quando discuto temas do género, ando a tentar abster-me de entrar em discussões acesas. Porque preconceitos raramente são ideias discutíveis. A maior parte das vezes, são parvas. Só. Logo, não merecem discussão.

[ Eles e elas duas vezes para não deixar dúvidas em relação a quem são as pessoas a que se refere. Não é mais ninguém além deles nem outras pessoas que não elas. São exacta e precisamente eles e elas!]





Ah, e sem estar relacionado com o post mas só para ficar registado: estou muito sentida com vocês. A Pipoca vai casar-se, pimba!, toma lá já uns Louboutin em cima. que já almoçaste. A mim, ninguém me vai entregar a porcaria dos livros. Amuei. E não se fala mais nesse assunto, pronto.





44 comentários:

Rosie Dunne disse...

é surpreendente chamar doença, entre outras coisas, à homossexualidade, mas a mentalidade das pessoas não dá para mais :S

Tiago disse...

O que me faz confusão não é a homossexualidade, é a forma como se emitem opiniões tão cheias de certeza, mostrando que são todos muito modernos, e que todos os outros são preconceituosos, e de mentalidade limitada

Se sou a favor da homossexualidade? Tou-me nas tintas.

Se sou a favor da adopção? Não sou sociólogo, nem psicologo, nem filósofo, para conseguir prever as consequências disso para a humanidade.

Lia disse...

chiça.... o casamento devia ser um direito adquirido à partida e não para ser discutido agora! O país tem assuntos tão mais sérios do que andar a discutir o direito à felicidade dos seus cidadãos, que á partida deveriam ter todos os mesmos direitos!
Não sou eu, nem ninguem, que tem o direito de decidir se outras pessoas devem casar, ou o podem fazer! cada um sabe de si.. e o que se quer neste Portugal é gente feliz...ou n?

Suspiro disse...

A pior doença é a ignorância ;) beijocas

Odalisca disse...

WTF?? Enfim, cada vez que leio ou ouço algo semelhante dá-me uma volta ao estomago, uma raiva...
Como tu, sou a favor tanto do casamento, como da adopção por parte de homossexuais... Cheguei já a discutir por causa disso, mas não vale de muito... Essas pessoas que são doentes é de preconceito... isso sim!

Madame Pirulitos disse...

Olha...
1º- Ainda me estou a rir com post dos livros que só vi agora. A rir, a rir muiiito. Se não fosse de Coimbra ía-te lá entregar os livros. Mas em troca quereria tomar um cafézito com a futura médica!!

2º- A pipoca vai casar e toma lá uns sapatinhos da melhor marca de sempre? Pois que eu vou ter um rebento e nem sequer uma fraldinha bordada!! Cada um é pró que nasce!!

3º- Eu sou a favor do casamento e da adopção entre casais do mesmo sexo. E nem sequer tenho que ser contra nem a favor. A vida não é minha, é deles. O raio de mania de acharmos que temos que opinar sobre tudo. Qual referendo, qual quê? Não tenho que ser eu a decidir. E a soberba de achar que um casal de sexos diferentes educará melhor e dará mais carinho. Por Deus!!
E esta é a opinião de uma psicóloga e terapeuta familiar. Já há uns anitos. Tenho dito!


Queridíssima Cat, tens lá um desafio para ti...

disse...

Sou totalmente a favor do casamento entre duas pessoas que se amem, seja qual for a sua opção. E adopção também desde que haja amor e condições para dar, contra todos os argumentos de que é um padrão diferente para as crianças (esquecem-se que a maioria dos homosexuauis teve um padrão dito "normal" em casa) ou ainda contra quem confunde homosexualidade com pedofilia :S - tacanhez pura, como referes querida Cat!

Jonny disse...

Olá Cat :)
Depois de ler este post e os comentários, por momentos, hesitei expressar a minha opinião. Mas porque fazem falta opiniões diferentes, aqui vai a minha (e esta é a altura em que vou deixar de ser um querido): em certa parte concordo com o que diz a "Dona" Maria. Não lhe chamaria uma doença, mas acho que muitas vezes a homossexualidade tem origem em traumas (muitos de infância) que acabam por se manifestar dessa maneira. Digo isso pelo que vi pessoalmente e pelo que vejo na televisão. Sem querer pôr-te "em polvorosa": claro que há casos mais complicados (com outras origens) mas acredito que a maior parte assim seja.

a Gaja disse...

Não queria acreditar que alguém ainda pensa isso, mas na verdade são bem mais do que eu gostaria de acreditar...homosexualidade, uma doença? Onde isto vai parar...

Assinei a petição da Pipoca...vá manda-me lá os livros que eu vou entregar...vai é demorar um bocadinho, visto que sou de Faro...

Jedi Master Atomic disse...

Vou já pôr o meu capuz branco com uns buracos para os olhos e começar a caça...loool

Quanto à cena do casamento e da adopção. Tenho uma perpectiva diferente. Sou a favor do casamento, mas contra a adopção.

A favor do casamento porque o estado não tem nada a ver com as opções sexuais das pessoas e o casal não está a prejudicar ninguem.

Contra a adoção porque uma criança com 2 pais ou 2 mães não tem o modelo feminino ou masculino, respectivamente. E já basta haver tanta criança que cresce com pais divorciados e que por isso, não tem um dos modelos que tanto lhe faz falta. Não está em discussão se o casal tem ou não capacidade para tomar conta de uma criança, porque se um pai solteiro tem, teoricamente, 2 pais também deveriam ter, mas sim o impacto psicologico que tem na criança. Não há substituto para o amor materno/paterno porque são diferentes um do outro. É só por isso que sou contra.

Rita disse...

Irritam-me pessoas que pensam assim. Irritam-me! E, para mim, às vezes nem vale a pena discutir porque simplesmente se torna ridículo.

Mas o que é que as pessoas têm a ver com as relações dos outros? Mas um casamento homossexual faz-lhes mal? Aleijam-se com isso? Afecta-as?

Espero um dia que o mundo aceite o que é natural. Não é só na espécie humana que há homossexuais, é em muitas mais espécies, senão todas! Sei que vai demorar tempo, mas acredito que daqui a uns tempos as mentalidades comecem a mudar. Têm de mudar!

Cinderela disse...

Ora nem mais. A homossexualidade não é uma doença, nem tão pouco uma escolha, porque de certeza que se o fosse, toda a gente optava por ser heterossexual, que é bem mais fácil, numa sociedade ainda tão ignorante como a nossa.
Quanto ao casamento e à adopção, estou perfeitamente de acordo. Se para alguns heteros é importante ter um papel passado, porque é que os homos não hão-de ter o mesmo direito? E todos os estudos fiáveis apontam para que não haja diferenças significativas na maioria das variáveis consideradas relevantes do ponto de vista psicológico entre crianças criadas por casais homossexuais e as que são criadas pelos casais mais tradicionais, onde existe uma figura masculina e feminina.

♥ Guida disse...

Mas afinal, quem é o doente? A mim parece-me que são as pessoas retardadazinhas.

Isso da adopção faz-me alguma comichão, pelo argumento que o Jedi deu. Mas olha, antes dois pais ou duas mães que dão amor do que pais divorciados ou criminosos.


Beijinho

ADEK disse...

Eu também acho que vou desistir de entrar em discussões dessas:) Mas já consegui "convencer" os meus avós de que a homossexualidade não é uma doença, acho que já não é mau!*

Jedi Master Atomic disse...

Cinderela,

Não concordo com esta tua frase: " nem tão pouco uma escolha, porque de certeza que se o fosse, toda a gente optava por ser heterossexual, que é bem mais fácil, numa sociedade ainda tão ignorante como a nossa."

Tenho um amigo homossexual porque ele escolheu ser assim e está-se a lixar se é bem aceite ou não. Não concordo que, havendo escolha, se opte pela solução do hetero, só porque é mais facil.

Olhos Dourados disse...

Eu não tenho nada contra eles. Desde que eles não tenham nada contra mim:p

Zaahirah disse...

Graças a Deus que desde os meus 14 anos convivo com gays e lésbicas que me aclararam as ideias acerca deste assunto. Não digo que não me faz confusão ver dois homens ou duas mulheres a beijar-se, porque faz (é mais forte que eu, lamento!), só que aprendi a aceitar a opção de cada um.

Concordo plenamente com o casamento e com a adopção. Se há tanta criança sem pais e casais homossexuais dispostos a acarinhá-las, não vejo qual o problema!! Claro que as crianças vão ter de aprender a lidar desde cedo com o preconceito e vão ter de perceber muito bem o tipo de relação dos "pais" ou "mães", mas não me parece que seja um bicho de 7 cabeças. Tão pouco acredito que uma criança criada por homossexuais vá ser homossexual também e muito menos abusada!

Sou a favor da felicidade da malta e mai' nada! Detesto preconceitos e ignorância!

Kat disse...

Querida, acertaste na mouche (ou muche?). Ainda esta semana tive um debate na minha turma (em Ciência Política de 12º ano) sobre o casamento homossexual e a adopção por parte dos casais homossexuais.
Deixa-me dizer-te que considero os meus colegas pessoas inteligentes e, estando numa das supostas melhores escolas do país nunca julguei ouvir tanta borrada junta.

Ele é razões biblicas, ele é "incentivo ao gay", ele é doença genética, olha, uma vergonha (que são os homossexuais).

E eu pensava que era de uma geração mais tolerante e open-minded.



Pensava mal

Cat disse...

Rosie Dunne: mentalidades pequeninas, é o que é!

Tiago: então, basicamente, não tens opinião nenhuma? Zero? Eu não penso que deva ser eu ou a sociedade, em geral, a permitir ou não permitir o casamento. Devia ser um direito adquirido, como disse a Lia. Mas se tenho opinião, independentemente do que ela vá influenciar (que é nada!)? Claro. Mas isso sou eu que tenho a mania de ter opinião sobre tudo.

Lia: claro! Mas não sendo um direito adquirido, só espero que não vá a referendo, se não, já se sabe... :/

Suspiro: exacto!

Odalisca: eu também fico revoltada, dá-me a volta ler e ouvir coisas destas!

Madame Pirulitos: 1º - mas agora parece que não há aqui ninguém de Lisboa! xD Claro que tomava um cafezinho! :D / 2º - Caraças, se eu não te envio uma fralda bordada. Juro! / 3º - nem mais! :)

Bê: as pessoas só conseguem aceitar como "normal" o conceito de família estabelecido actualmente. Como se tantas e tantas coisas que agora aceitamos como normais, não tivessem parecido estranhas, antes!

Jonny: oh, não deixas nada! Se é a tua opinião... Eu não concordo com ela. Tenho amigos homossexuais que não tiveram absolutamente nenhum trauma nem comportamento desviante. Simplesmente, são homossexuais, pronto. Viste? Nem fiquei em polvorosa porque foste bastante amigável ;) lol

a Gaja: oh, que amorosa! :P

Jedi: não consigo concordar. Como a Cinderela referiu, os estudos de crianças educadas por casais heterossexuais e homossexuais não revelaram diferenças. Há muitas outras famílias em que falta um dos modelos porque, mesmo que exista, não assume bem o seu papel. Os filhos de pais toxicodependentes, alcoólicos, que exercem violência física sobre as mães... Achas que essas crianças são mais felizes ou que têm vantagem em ter esse modelo masculino comparativamente com se fossem educados por duas mulheres?

Rita: eu também acredito, acredito mesmo. E permitir o casamento e a adopção é um primeiro passo super importante para isso!

Cinderela: exactamente. O que deve ser muito mais triste para uma criança é ser institucionalizada e nunca ter tido uma família.

Guida: claro..assim de repente vêm-me logo à cabeça vários exemplos de famílias muito mais destruturadas do que um casal homossexual pode ser para uma criança.

ADEK: boa! E eu sei que avós não são fáceis, nunca ;)

Olhos Dourados: LOL porque é que haviam de ter? :P

Zaahirah: és como eu :) E tenho esperança de que se a adopção passar a ser permitida, as crianças deixem de sentir que são marginalizadas por terem dois pais ou duas mães porque passará a ser uma coisa difundidade, melhor aceite. Eu tenho esperança de que isto aos poucos, vá mudando :)

Kat: isso é chocante. A 3ª idade, eu ainda consigo compreender um bocadinho. Agora, pessoas novas, de 20, 30 anos, algumas menos, a pensar essas coisas.. GOD!

Jedi Master Atomic disse...

"Achas que essas crianças são mais felizes ou que têm vantagem em ter esse modelo masculino comparativamente com se fossem educados por duas mulheres?"

O mesmo argumento posso eu aplicar se uma das pessoas do casal homossexual for alcoolica ou drogada, não?

É como digo, o amor paterno e materno são 2 coisas completamente distintas. Enquanto não me convencerem que 2 amores maternos são suficientes para uma criança, eu não mudo de opinião. Se me convencerem, eu mudarei imediatamente.

mary disse...

é um assunto tão enervante, este... tambem me dá nuns nervos as pessoas quadradas que não conseguem entender que duas pessoas do mesmo sexo casarem é um direito! se gostam uma da outra e querem casar, qual é o raio do problema nisso? é por nao casarem que nao vao viver juntas e vao deixar de haver homossexuais? que, verdade seja dita, não nos incomodam minimamente o dia a dia? a mim pelo menos não me incomodam nada. cada um sabe de si, cada um escolhe como quer viver a vida, e se se apaixonam por uma pessoa que por um acaso é do mesmo sexo, e querem casar, não é um direito deles? se os heterossexuais têm o direito a casar, estendam a lei para os homossexuais tambem. não são mais nem menos que os outros. que santa parvoice. quanto à adopção, se uma criança pode ganahr duas pessoas que a amem e eduquem, o que raio pode mais precisar de ser disctuido? primeiro, o interesse da criança, certo? e, tecnicamente, para mim, seria o primeiro e o ultimo. Se o interesse da criança é preenchido (casa, comida, educação, AMOR, cuidado, afecto, etc, etc), então está tudo bem.
Bolas!
Humph, voltei a respirar. Já estava a entrar em transe.
Quantos as teus livros querida Cat, vá, eu não me importo nada de os ir entregar! Acho que uma boa desculpa esclarece tudo e passamos à frente x)

Framboise disse...

Cat comigo não discutes de certeza, porque sou da mesma opinião que tu. Acho que não preciso de te recordar quem é o presidente da câmara aqui do sítio -_-
É e vai continuar a sê-lo, porque se for preciso as pessoas até apoiam a opinião dele. Vamos todos apoiar o senhor Narciso na saga de tratar a homossexualidade!
Enfim... Boa semana :)

Dexter disse...

Por acaso já andava a pensar fazer um post sobre esta temática (e vou fazê-lo, dps podes ir lá cobrar os direitos de autor :p).

O problema é que ainda vivemos numa sociedade de mentalidade tacanha, supostamente laicista mas ainda mto agrilhoada aos ditames católicos, que por vezes impedem as pessoas de pensarem como pessoas, passo a expressão.

Se uma pessoa gosta de outra e é correspondida, independentemente do sexo, porque raio n hao-de ficar juntas? Que sociedade é esta que impede as pessoas de serem felizes por caprichos sociais estereotipados?

Hermione disse...

eu concordo com o casamento, sim. com a adopcção, nao tenho ainda uma opiniao formada... a nossa sociedade é demasiado tacanha, e imagino a vida dessa criança... mas tb te digo, se isso for a referendo, acho que vai perder... sociedade a nossa..

Serena Van Der Woodsen disse...

preciso de uma médica.. hoje levei pontos no queixo, tenho-o a arder, nao sei o que faça :s ser que me podes ajudar? :p

Cat disse...

Jedi: claro, um dos membros do casal homossexual pode ser alcoólico ou toxicodependente ou seja o que for. Com as mesmas probabilidades de um membro do casal heterossexual o ser. Consideras então que uma pessoa educada só pelo pai ou só pela mãe (por motivo de divórcio, por exemplo) será, por esse motivo, uma pessoa diferente de uma com pai e mãe? Claro que o amor materno e paterno são distintos. Mas nem por isso acho que sejam indispensáveis a uma criança que nunca teve ambos.

mary: eu fico exactamente como tu, só respiro no fim com tanta coisa que tenho para dizer em catadupa! Por isso é que já nem gosto de discutir (apesar de acabar sempre por o fazer, como se vê aqui nos comentários!). É que é isso mesmo: não nos incomodam nada, não nos perturbam, não nos fazem mal, não se intormetem na nossa vida. Porque é que havemos de querer impedir a felicidade de pessoas que não impedem, de forma nenhuma, a nossa? :o Em relação aos livros: oh, a sério, a sério, a sério? :o Vamos combinar isso, vamos, vamos! :D Sabes que és mega fofa? x)

Framboise: esse homem já ia morrer longe! :o

Dexter: oh, quais direitos de autor? É um tema em voga, não foi ideia minha ;) Xii, Dex, a tua frase está brutal! :D

Hermione: mas é um ciclo vicioso. Se nunca nada mudar, a ideia de adopção vai parecer sempre estranha porque a criança vai ser marginalizada. Temos de começar por algum lado, para essas ideias mudarem :)

Serena Van Der Woodsen: caíste? Acho que deve ser normal, querida, se foi hoje... :)

Cinderela disse...

Jedi Master Atomic:

Não é uma escolha. É uma tendência natural. Eu não escolhi ser heterossexual, e um homossexual também não escolhe sê-lo. Ninguém escolhe por que sexo se vai sentir atraído, isso é um disparate. E reforço o que já atrás referi, se fosse tão simples quabto fazer uma escolha, só os masoquistas escolheriam ser homossexuais, porque de facto a sociedade é muito cruel para com eles.

Pinkk Candy disse...

Jedi Master Atomic disse:

"Tenho um amigo homossexual porque ele escolheu ser assim e está-se a lixar se é bem aceite ou não."

Eu não sabia que uma pessoa escolhia ser homossexual. Então, se eu quiser ser homossexual, é assim, decido e pronto?
Não me parece que é uma decisão do próprio individuo, ser ou não ser hetero ou homo, ou se é ou não se é! Certo?

kiss

~ rita disse...

Ó catzinha, eu não me importo nada de te levar lá os livros! Tu moras onde, Alvalade?

~ rita disse...

Eu tou no outro lado do rio, mas todos os santos dias vou lá para ao lado do Sta Maria estudar. Dizes-me um diazito em que te dê jeito, que tratamos disso. :P

Bafejada pelas Musas disse...

lol grande post. só uma coisa, eu sou contra a adopção, mas atenção, não porque não acredite que um casal homossexual, como qualquer outro,, posso criar e dar amor como qualquer outro casal mas sim porque, infelizmente, a nossa sociedade não esta preparada para receber filhos de casais do mesmo sexo. Nem sei se , tal é a tacanhez, algum dia estará. é a minha posição:) mas aceito a tua lol beijao

Rainha de Copas disse...

Sinceramente.

Galo disse...

Ainda existem mesmo pessoas que acreditam que a homossexualidade é doença?
É evidente que sim e nem percebo a tua admiração.
Se há gente que acredita em deus (isto para não levar a conversa para o lado da política...), porque não acreditar no Pai Natal?
O pior é que anda por aí uma "doença" que é tão perniciosa no domínio da mente de certas pessoas e mais contagiosa do que a gripÁ: a religião!

Beijo

Red Tape disse...

Sabes que mais? Eles que façam o que entenderem... querem casar-se? Que se casem! Querem adoptar uma criança? Que adoptem! Agora não façam disto uma bandeira política!!!!!

Deixem lá os homenzinhos e as mulherzinhas em paz... eles que se juntem todos aos pares que é da maneira que mais sobra. lool

Jedi Master Atomic disse...

Cinderela e Pinkk,

Talvez não me tenha exprimido correctamente.

A "escolha" a que me refiro não é a genética, porque é obvio que a pessoa tiver uma genética que o faça homossexual, ele não escolhe. A escolha a que me referia é a consciente, ou seja, o tal caso do meu amigo, ele namorou raparigas quando era mais pequeno, mas por volta dos 14/15 anos, descobriu a sua atração por homens e tomou uma opção (escolheu, portanto) virar-se exclusivamente para homens. Apesar de ser uma escolha dificil, ele tomo-a, porque poderia simplesmente continuar a namorar raparigas e a manter a fachada, mas não....ele assumiu-se perante toda a gente.

Pinkk Candy disse...

@ JEDI - ele não escolheu, ele DESCOBRIU que afinal gostava era de pessoas do mesmo sexo!
ou então é bissexual e escolheu por ora ficar com homens.

kiss

Cat disse...

Bafejada pelas Musas: mas esse pensamento está invertido, querida! Por as pessoas pensarem assim é que a sociedade é preconceituosa e, provavelmente, essas crianças sentiriam esse preconceito. Devemos mudar precisamente porque é assim e não deixar de o fazer por esse motivo.

Rainha de Copas: pois!

Galo: tudo o que disseste, podia ter sido eu a dizer. Mas pronto, religião é outro tema... :)

Red Tape: sobram mais quê? :P

Jedi: e continuas a exprimir-te mal! ;) Concordo com a Pinkk Candy, ele não escolheu, ele descobriu. Quando uma pessoa descobre que gosta de pessoas do mesmo sexo, não se chama propriamente OPÇÃO "virar-se exclusivamente para homens"... Tu também não tomaste a opção de o fazer com as mulheres: é assim porque gostas dee mulheres e não de homens. Muitos gays tiveram namoradas no passado, não tem muito a ver..

Pinipóne disse...

Eu cá só assino petições contra a barbaridade contra os animais... querem sapatos comprem-nos... queres os livros? Váaa... eu vou-tos entregar, mas já sabes que me ficas a dever uma! :oP

Bjito!

Ana Mateus disse...

à pessoas com uma mentalidade tao pouco desenvolvida, por favor, desde quando a homossexualidade é uma doença? aserio, esta gente mata-me -.-
torna-se ridiculo. tens toda a razao :)

Kikas disse...

Cat, eu nem vou comentar que isto revolta-me! mentes preconceituosas atrasadas pah :@

Red Tape disse...

Mais sobram pessoas normais para hmm... hmm... se juntarem tb aos pares? hehe

Miss G. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miss G. disse...

Cat,
Sabes que houve uma teoria, há largos anos, em psicanálise, que afirmava que a psicanálise era uma doença. E isso é ainda mais triste do que em pessoas que não são tão informadas. Felizmente hoje em dia essa teoria já não é aceite. De resto, concordo contigo em tudo. Já fui maus reticente com a adopção, mas é melhor ter pais do que viver num orfanato. E tenho alguns amigos gay que adoro e garanto que nenhum deles sente remorso.
E depois há aquela teoria de que não é uma escolha. Ora, se não for uma escolha é porque é genético e aí é que bate o ponto a favor de quem diz que se pode tratar. É uma escolha sim de acordo com aquilo que mais gostamos e com que nos sentimos melhor e somos mais felizes.
Beijinho pa ti

' Claudjinha disse...

RI-ME ao ler essa carta da Marta... ridículo!