18 de maio de 2009

Essa nova religião chamada Catolicismo Não Praticante.

Correndo o risco de ferir susceptibilidades e de ter, ali na esquina, uma espera de fanáticos religiosos para me linchar...(quem me dera!)

Acho uma gracinha, mas uma gracinha tão grande, a quem diz ser "católico não praticante". Oi? Nunca ouvi ninguém de outra religião dizer isto. Mas também não conheço muitas pessoas de outra religião que não a Católica Apostólica Romana. Meus queridos, ser de uma religião é uma coisa séria, não deveria ser como ser de um clube de futebol, que uma pessoa diz "sou
benfiquista mas não acompanho muito" e ninguém fica chocado. (Eu sou benfiquista e acompanho muito e vou ao estádio, já agora!). Não praticante, como? Isso, para mim, não faz sentido. As crenças, se verdadeiras, não deverão ter uma tradução prática? A fé demonstrada sem esforço de maior? Uma religião não serve - também! - para isso mesmo: ser praticada? Existem rituais em todas as religiões. Conheço o discurso de ir à missa. Que não é por aí... que a missa é um ritual formatado, não adaptado à realidade actual, imposto. Até aqui, de acordo. Mas uma pessoa que diz ser católica e que nunca vai à missa, nunca leu a Bíblia, não conhece os ensinamentos católicos, sabe pouco sobre a religião, nunca reza, nunca pratica nenhuma demonstração, nem que privada, da sua fé... Parece-me um bocadinho injusto para com o Senhor lá de cima. Uma relação um bocadinho unilateral. Assim é muito fácil. Assim também eu! Vou dizer "sou católica não praticante" e pode ser que Ele me salve dos meus pecados (QUE SÂO TANTOS!) e me conceda a vida eterna. Pode ser que não ligue muito à parte "não praticante". Digo "católica", devagarinho, bem soletrado e bem alto e "não praticante" assim muito rápido, pode ser que Ele, lá longe, nem ouça, nem repare. Acho uma moda estranha, a sério. E não estou, de forma nenhuma, a querer equiparar prática a fanatismo. É só uma questão de ser coerente, de fazer coincidir pensamentos com actos.

Agora sou qualquer coisa como ateísta. Andei na catequese, apesar dos meus
pais não serem (lá está!) muito praticantes. Fui baptizada, fui crismada e tudo. Não sabia bem em que é que acreditava. Não sabia tanta coisa, tinha e tenho tantas dúvidas existenciais que, até tarde, deixei-me estar quietinha, sem dizer a ninguém que era ou que não era. Ia vendo, ia conhecendo, ia pensando. Se tivesse nascido na Índia, seria budista ou hinduísta. Se tivesse nascido no Norte de África, seria muçulmana. Se tivesse nascido em Israel, seria judaica. Isto foi uma das coisas que sempre me deixou a pensar na credibilidade da religião que me "impunham". Na dessa e na das outras todas. Posso não acreditar numa entidade divina superior mas acredito em muitas coisas importantes. E pratico-as.

Heidi Klum by Victoria's Secret
(Esta foto é a cereja em cima do bolo do linchamento, eu sei!)

44 comentários:

Olhos Dourados disse...

Falas bem!
Isso da religião dá pano para mangas. Uma pessoa diz que é católica não praticante se calhar porque foi baptizada, mas não liga nada a essas coisas, nem vai à missa... Eu cá também sou da opinião que ou se é, ou se não é, e também nada de fanatismos. Eu cá posso dizer que sou católica, vou à missa e essas coisas, mas fanatismos, também não obrigada. Qualquer que seja a religião.

Cat disse...

Olhos Dourados: e mais nada! :)

V disse...

A partir de uma certa idade começamos a ver que as coisas que nos ensinam na infância nao são assim tao lineares.. a questão da religião muito menos. É muito complexa, dá muito pano para mangas, mas eu nao poderira estar mais de acordo com aquilo que aqui escreveste hoje!

Jedi Master Atomic disse...

"uma espera de fanáticos religiosos para me linchar...(quem me dera!)"

Quem te dera??? És maso? lol

"(Eu sou benfiquista e acompanho muito e vou ao estádio, já agora!)."

BUUUUUUUUUUUUUU :P


"salve dos meus pecados (QUE SÂO TANTOS!)"

Imagino :P


"me conceda a vida eterna"

Nããããããããããããããão !!!


És ateísta ou agnóstica?

Cat disse...

V.: é pano para mangas mesmo... :) obrigado pelo comentário, beijinho *

Jedi: que estranho ver as minhas frases desfragmentadas e comentadas uma a uma! Não sou maso.. mas pensar que o que escrevo poderia alguma vez na vida ter uma dimensão dessas... :P
Ateísta.

o dono do blog disse...

Uau, se estivessem umas "sacerdotisas" destas (mesmo com asas, não fazia mal, que eu não me importava de as "depenar") à minha espera na igreja (igreja, mesquita, sinagoga ou "sina gaga", eu ia a todas lol), eu ia ser um religioso fanático.
Agora que falas no Benfica (eu também sou, mas não pratico :D), acho que és um religiosa devota. Só alguém com muita fé continua a frequentar aquela "Catedral".
Eu cá não me importo de admitir que fui baptizado, porque os meus pais assim decidiram. Fiz a primeira comunhão, porque os padres assim decidiram. E casei pela igreja, porque a família achava que fazia uma cerimónia mais bonita. Tirando isso, estou - com licença - a cagar-me para a religião :PPP.

Beijinhos

Myllana disse...

Também sou católica mas depois de crescida prefiro dizer que não sou praticante porque como estava a dizer depois de crescida já não concordo com algumas cenas da igreja . Tenho fé sim senhora e essa é 100% :)

Cat disse...

o dono do blog: LOL A Catedral é a Catedral e eu tenho muita fé! :) A tua ultima frase é... xD

Myllana: mas não concordares com algumas crenças faz com que não pratiques nada? beijinho *

Jedi Master Atomic disse...

Perguntei-te porque às vezes a malta confunde o seu ateu com ser agnóstico, que é o que eu sou, porque não ligo népias a religião. Embora tenha a 1ª comunhão e adore comer óstias....lol

PS: Frases desfragmentadas parece conversa de informático :P

Cat disse...

Jedi: sim, eu sei, muitas vezes aplicam mal os termos e dizem que são o que não são ;)

Bafejada pelas Musas disse...

Ora bem. Pra já também sou benfiquista(yeaaaah) e tento acompanhar o máximo que posso(sou do norte, não posso para meu desgosto ir aos jogos. Fui ao de agosto passado com o inter. Foi a minha primeira vez naquele estádio e fiquei mais do que deliciada). Agora quanto ao verdadeiro tema é assim. fui baptizada, fiz a 1a comunhão. Andei na catequese até aqui e deixei-a mal deixou de me ser imposta. Voltei a ela para ser crismada senão não poderia ser madrinha um dia(sim hei-de ter montes de afilhados!lol) e voltei a deixa-la. Festejo o Natal porque gosto de toda a bondade e esperança que o rodeiam. O ajudar os outros e estar em família. Acredito que nesse dia nasceu um menino chamado Jesus, que se revelou um ser humano com uma bondade sem igual. Sou obrigada quase a festejar a Páscoa pois não acredito no que ela me transmite. não cumpro com dias de jejum pois acho que as pessoas já banalizaram muito isso(jesus passou fome gente. Antigamente deixar a carne era o sacrifício do mais luxuoso... Substituir carne por peixe caríssimo não é jejum!!). Resumo: Acredito que jesus existiu. que viveu, que foi bom, que lutou e que morreu. Que devemos seguir-lhe o exemplo. Tornar as atitudes dele uma religião talvez. Tudo o que está antes(do anjo a nossa senhora que concebeu virgem e isso) e o depois(ressuscitou ao sétimo dia) não acredito. Sou praticante de boas acções, bons pensamentos, da entreajuda(não de missas ou rezas ou procissões ou afins) Eu pergunto, afinal que sou eu? Católica? Falta-me muita coisa para isso. Ateia? depende. vejo "deus" como um modo de as pessoas desenvolverem fé num futuro melhor e esperança. Como um postulado, que não vemos nem provamos mas temos necessidade de acreditar que existe. Então fiquei confusa... Serei hindu? Por acreditar que todos somos possuidores de uma alma que não se perde com a matéria do nosso corpo?

A única coisa que sei que é incorrecto é as pessoas(já de há largos anos para cá) agirem bem só com medo de um castigo. de punição. do inferno. Isso é mau. Torna o ser humano em algo ainda pior do que é, pois está a dizer que ele é incapaz de agir por bem sem ameaça.

Acredito piamente numa coisa: Na força da natureza. Essa sim tem capacidade de dar cabo de nós. de nos por num calvário. Quanto ao resto não sei. prefiro não me definir. Prefiro agir como a minha consciência manda e não causar mal aos outros porque essa é que deveria ser a "religião" que todos deveriam seguir:)



dclp ter me alargado... este assunto deixa-me um bocado "eriçada":P**********

Sanxeri disse...

É preciso ter mente aberta para entender as opçoes alheias.

Eu sou católica, acredito em Jesus, na Virgem Maria e nisso tudo. Todas as nossas faço umas especies-de-oraçoes que só eu percebo. Tenho fé. Acredito em deus.

Mas nao vou à igreja. Nao tenho santinhos em casa. Logo, aos olhos da religiao cristão, sou não praticante.

Isso faz de mim menos religiosa? Não.

Hermione disse...

gostei do post. realmente é uma coisa que me deixa pensativa tambem. ja estive muito ligada a igreja mas agr não sei bem em que parte do barco me encontro. acho que podemos ser catolicos sem ir a missa, mas ser praticante e muito mais que isso. assim como podemos acreditar num Deus e não ter de ser exactamente como aquele que nos 'pintam' na catequese..

porque tenho a certeza que Deus nao diria coisas tipo 'cuidado com os muçulmanos', 'nao ao preservativo' ou 'sim ao preservstivo mas so depois de ja se ter o virus HIV'

é um assunto complicado.

Cat disse...

Bafejada pelas Musas: eu já fui a um Benfica x Barcelona para a Liga dos Campeões, ahh que beleza ver aquele estádio assim ao rubro! :) Em relação ao tema,quando dizes que não é correcto agirem bem só com medo de um castigo...penso que algumas das pessoas que dizem que são católicas não praticantes, além de não "praticarem" nada, a maioria tbm acredita muito pouco e dizem que são só p/não parecer mal pq na verdade, querem lá saber! "Prefiro agir como a minha consciência manda e não causar mal aos outros porque essa é que deveria ser a "religião" que todos deveriam seguir:)", não podia concordar mais :)

Sanxeri: eu acho q essas orações que só tu percebes (quem mais, de fora, é que tem de perceber? ninguém!) é uma prática, não achas? Se calhar das mais honestas porque é a tua forma de te expressares e não uma forma de expressão para os outros verem. Mas aos olhos da Igreja, não sei...

Hermione: estás numa fase de indefinição religiosa? :) era isto que eu, às vezes, respondia... ;) quando falo de prática, claro, é muito mais do que ir à missa (por isso é que realcei logo o assunto da missa). E nem sequer tem de ser uma demonstração publica, exposta, p/os outros verem...Acreditar em Deus como a Igreja o pinta é ainda mais complicado porque se coaduna muito pouco ou nada com os dias de hoje. Beijinho *

Bridge To Solace disse...

..E não será o Ateísmo a religião de não acreditar?!

:D

pedro disse...

e como ser ninfomaníaco mas só fazer sexo de vez enquanto lol,cat tenho 26 anos e tu??

disse...

Eu também passei pela mesma educação católica que tu. Conheço os princípios, os rituais e afins. Mas, na verdade, com o meu crescimento fui-me afastando cada vez mais. Mas sabes, não generalizando, há muitos católicos que vão à missa, rezam, andam com os seus terços atras e sabem todas as rezas e passagens da bíblia...e que depois são tão mauzinhos para os outros - custa-me mais isso, do que os que se dizem católicos não praticantes, porque até entendo este conceito, em certa medida. Acho que nas grandes cidades e numa época em que a vida a anda a mil, as pessoas se afastaram...E o facto de a Igreja estar tantas vezes envolvida em determinadas polémicas ainda mais as afasta mais...

Cat disse...

Bridge To Solace: acho que não, acho que é só o não acreditar.

pedro: exactamente, que bela metáfora! :D 21, muito prazer! ;) lol

Bê: sim, tens razão. Ser assim é quase cinismo. Mas acho que quando falas das pessoas se afastarem, das polémicas, te referes à Igreja. E quando falo de Acreditar, digo em Deus (porque percebo que se possa muito bem crer em Deus e não na Igreja). Beijinho *

Ivan Mota disse...

As pessoas precisam agarrar-se a qualquer coisa. É do estilo: "eu não pratico porque não tenho tempo para praticar mas sou católica, é bom que o senhor pense nisso!" A religião e o medo andam de mão dada desde sempre .. é por isso que surgem os não praticantes. Em contrapartida são os que mais dinheiro e bens desperdiçam para causas religiosas. Enfim..

Ivan Mota disse...

E obrigado pela Fotografia! Na Heidi Klum eu.. acredito!

S . disse...

Uii... quem quiser fazer pano p'ra enfeitar a muralha da China é falar de religião e/ou política! Eh.

Lá está... quando somos pequenos, fazemos tudo 'à imagem' e depois crescemos... e surgem os 'porquês'. Eu sou qualquer coisa como deísta. Gosto e interesso-me por todas as religiões... fascinam-me, é verdade. Porque movem (assim como demovem) milhões de milhares de pessoas por todo o mundo... as parábolas... lindíssimas! No entanto, não me vou alongar, apenas deixo aqui um 'esclarecimento' quanto ao Deísmo: acredito que a existência de um (/"O") Deus se revela através das leis naturais (da natureza) e da ciência. BasicamenteS!

*

Cat disse...

Ivan Mota: era exactamente essa a ideia que queria passar com este post. De nada, de nada :) **

Cat disse...

S.: o deísmo é uma coisa muito interessante. Ao mesmo tempo que acredita na existência de Um, Algum Deus...faz isso p/lá dos limites das religiões... beijinho e obrigado pelo comment :) (estou aqui a arranjar pano para mangas, eu sei!) *

o dono do blog disse...

Ah, aposto que tu és daquelas que ainda acredita no título deste ano ahahah.
O Eusébio, mesmo depois de operado 500 vezes ao joelho, depois de velho e operado ao coração, ainda vale mais do que aqueles sul-americanos todos juntos.
O Benfica e a revolução, são duas das minhas grandes mágoas. Ambos foram invadidos, distorcidos e delapidados pelos intrusos (ou pelos "intrujas", vá-se lá saber)

Cat disse...

o dono do blog: este ano claro que não. Mas p/o próximo... =]

MissKitsch disse...

Tens toda a razaão. Ser católico e não praticante é uma contradição nos próprios termos.
Eu sou cristã (uma vez que sou baptizada) mas ainda não me decidi nesse aspecto, no que acredito ou não.






*

Jedi Master Atomic disse...

Epá, eu ainda estou a pensar no termos frases desfragmentadas :P

Cat disse...

MissKitsch: independentemente de seres baptizada, podes ser o que quiseres :)

Jedi: hei, não penses tanto! (eu não percebo nada de informática...)

Jedi Master Atomic disse...

Não penso tanto porque? Vais-me dizer que vou fritar o meu pequeno cérebro? :P:P:P:P:P:P

Nii disse...

Obrigada Cat. Ainda não é o fim, mas já é uma importante etapa conseguida. Gostei do teu texto.. se queres que te diga, tambémm eu fui baptizada, fiz primeira comunhão etc.. pq os meus pais assim entenderam... hoje sei que acredto em algo, e sinto necessidade de me agarrar a qualquer coisa... não sei bem o quê, talvez seja isso. Com o tempo irei compreender melhor, espero.

Um beijo

Dexter disse...

Epá há bcd comentei mas agora n aparece nada aqui... :s

Enfim, era mais ou menos isto:
Não acho que seja preciso ser religios p ter valores éticos e morais, nem p ser boa pessoa. Eu n acredito em Deus, apesar de respeitar as religiões e de n censurar quem acredita, mas pessoalmente sinto-me mto mais livre devido ao facto de n ter de prestar contas a alguém. E a minha familia é religiosa qb, pelo que nem é por influencia familiar. Sou baptizado, mas n tenho mais nada, por opção minha. E os meus filhos serão livres de escolher a religião que quiserem (ou a falta dela), pois a meu ver, se cada um usar a religião (ou a falta dela) para ser feliz e atingir os seus objectivos de vida, então mto bem!

Dexter disse...

Ahh...e VIVA O BENFICA!!:D

Cat disse...

Nii: não há pressa tbm :)

Dexter: mas encontrar pais da geração dos nossos que pensassem assim é quase uma missão impossivel! VIVA! :D

JorgeMiguel disse...

No geral crescemos ou somos educados – mas já foi mais – como se Deus existisse e a religião fosse compulsoriamente intrínseca à própria existência do Homem. Também assim aconteceu no meu desenvolvimento. Mas quando começa a idade dos porquês e a Razão procura a compreensão verificaram-se que muitas respostas não foram satisfatórias de todo.

É interessante a obra social da Igreja. Assim como admiro os votos de pobreza da Ordem de São Francisco de Assis ou a vida asceta dos Budistas. Mas existência de Deus e imposição de normas colide como as minhas reflexões e convicções.

Na prática sou ateu mas como tem alguma carga pejorativa muitas vezes prefiro assumir uma posição mais filosófica-científica: agnóstico (acrescento: agnóstico 100% straight – porque há quem diga que agnóstico é um ateu maricas!:-). Cat, gostei imenso! Senti conforto na comunhão de ideias e profundidade do post. *

JorgeMiguel disse...

P.S.: os shows da Victoria's Secret são simplesmente fantásticos! Talvez seja o único momento em que me sinta perto de Deus (afinal Ele existe!:) com tão belos anjinhos que nos envia! :-D

sakura disse...

Sabes o que me disse um professor de psicologia? Ser católico não praticante é como ser ciclista não pedalante! Lembrei-me ao ler o teu post! =)

Swadharma disse...

Eu sou agnóstico! (Nao vou dizer ateu senão leva sempre a uma discussão sem fim, fica pelo agnosticismo) Logo...para mim é um assunto sem resolução possivel.
Eu tambem fui baptizado na Religiao oficial de Portugal, depois andei 5 anos na catequese mas nao fiz Crisma nem nada disso, não me identifiquei NADA com a religiao oficial de Portugal!
E tudo começou por uma coisa simples:
Porque eu já conhecia desde novo o Budismo... meditação, for de lotus, estatuas serenas, água...
Quando me vejo dentro de uma igreja com um Cristo crucificado, anjos com setas espetadas em todo o lado e imagens sempre com aquele olhar de "tenham piedade de mim", pensei cá para mim: "Então mas isto é um apelo á piedade das pessoas... eles não transmitem paz ou harmonia, transmitem pena e castigo"!
E então... como estava sempre a ser convidado a sair das aulas de catequese por fazer perguntas pouco... pertinentes... acabei por nunca completar.
E pronto... sou um ateuzinho de trazer por casa que, para nao estar sempre a explicar o porquê de nao acreditar em divindades, prefere dizer: "Sou agnostico"
=P

ADEK disse...

Eu tenho uma versão oposta:P Não concordo muito com os conceitos impostos por qualquer religião...Acho que ao longo dos tempos fui criando os meus próprios ideais de vida, fui sacando ideias de muitas coisas que li e vi, mas a minha mãe é bastante religiosa, e fica felicíssima quando a acompanho à missa aos Domingos sempre que vou a Viseu(e eu gosto tanto de a ver sorrir!). Também dei catequese porque me acharam "boa menina" e pediram-me para ficar com uma turma de putos. Lá tocava guitarra com eles e fazia uns jogos uma vez por semana:D Sabendo que com "católico não praticante" as pessoas geralmente querem dizer que são baptizadas e têm as suas crenças de fé próximas das da Bíblia, mas não vão semanalmente à missa, não se confessam e afins, isto fará de mim uma não-católica praticante? XD

PS: A parte de confessar também não sigo... A minha mãe não me pode pedir tanto:P Ah...e um facto curioso que tenho vindo a constatar... Malta que não é baptizada, não segue minimamente qualquer (outra) pseudo-regra da Igreja, a fazer jejum de carne nas sextas da Quaresma...Acho um facto bastante curioso. How about that?

♥ Guida disse...

Eu também andei na catequese e fui crismada e tudo. Andava lá porque até se diziam algumas coisas certas (não precisava de ir à Igreja para as ouvir, no entanto :P) e porque gostava muito do meu grupinho. Mas já na altura aquilo me fazia uma certa confusão. E isso não implica que seja menos digna de ser aceite lá pelo Senhor Deus do que uma rata de sacristia qualquer. Isto é tudo uma questão de fé e parece-me que há muita gente que não percebe isso e, lá está, acham que as religiões são como os clubes de futebol!

E concordo que ou somos carne ou somos peixe! Não há cá bife com barbatanas!

Joana disse...

ah, sim! esta foto está perfeita depois do texto.
eu não vou comentar este texto, dava pano para mangas.. mas em grande parte, concordo contigo. :)

Cat disse...

Jorge: não sabia que alguns agnósticos tinham essa fama ;) sim, agnósticos vs. ateus é outro bom tema. Ainda bem que gostaste, Jorge! :) A Victoria's Secret, neste desfile, tbm tinha diabos ;)

Sakura: q boa comparação! :D

Swadharma: a mim tbm não me transmitem harmonia e paz nenhuma. Acho as imagens sinistras. Transmitem-me...medo, acho eu! Calculo as tuas perguntas "pouco pertinentes"... Eles não gostam muito de perguntas profundas às quais não sabem responder :P

ADEK: a tua mãe quer que te confesses pq suspeita dos teus inumeros pecados ;)

Guida: acho que andei até tão tarde, em parte, tbm por causa do grupinho :)

Joana: fui meter-me num assunto delicado :) beijinho *

mar disse...

Concordo contigo. Acho que devia haver mais seriedade na forma como se pratica a religião. Sou católica e vou à missa (e não encontrei nada no teu post que me fizesse ter vontade de te linchar), mas muitas vezes dou por mim a olhar para as pessoas e a vê-las debitar uma série de orações, de forma mecânica, sem tão pouco pensarem no que dizem. Penso que grande parte dos que ali vejo, são católicos por tradição e não por convicção, o que é pena. A Igreja também não é isenta de culpas, quer pelas posições polémicas e que revelam intolerância que toma em relação ao aborto, homosexualidade ou mesmo o preservativo, quer pela forma como tenta subjugar os fiéis. Enfim... tinha tanto a dizer!!
Mais do que católica, prefiro dizer que sou cristã. Tento aplicar todos os dias, na vida prática, os ensinamentos de um grande filósofo, de um grande Homem, Jesus Cristo. A Instituição Igreja... já é outro departamento...
Fica bem

Cat disse...

mar: gostei muito do teu comentário e de perceber que se calhar não sou só eu (do lado de fora) a achar isso. Acho que, religiões à parte, o que importa mesmo são as nossa acções, os nossos valores, os nossos ideais. Isso, mais do que tudo, faz de nós quem somos :)

Beijinho *

palavras perdidas disse...

Eu li alguns dos comentários, não todos perdão..este blogue é muito concorrido e eu depois canso-me a ler tanto pá.
Mas algo se pode concluir..até uma certa idade somos levados até á religiao (seja qual for) pela familia..para fazerem festas, mostrarmos roupa bonita ao Domingo(há muitos lugares de culto que mais parecem feiras de vaidade e mais não me estico)
Mas nós começamos a crescer a fazer perguntas e a ver a incoerência da coisa...cada qual terá a sua história que contar a favor ou contra acerca de alguma religião em como algum momento da vida se sentiu descriminado por diferir nas ideias..mas em vez de se dialogar e ver que existem diferentes pontos de vista e a o mundo evolui..certos "chefes" religiosos optam por colocar normas que vão em contra o bom senso..e os fieis vão-se afastando...A culpa não é das pessoas afastarem-se de umas religiões para se acercarem a outras, ou as vezes a nenhuma.
e como se pode ver pelo desenrolar dos comentários ninguém diz que não acredita num Ser Divino..ou algo transcendental..ninguém tá é com paciência para merdices...A religião católica com a história do preservativo, a muçulmana com a descriminação ás mulheres(pronto eu sei que este ponto tem de se debater um pouco mais!!!)os Jeovás com a aversão aos tratamentos de saúde..sei lá em tudo há sempre um QQQ.
E alguns mortais vão-se ficando no que acreditam e sentem no coração...